Gordura visceral: muito cuidado!

Conheça 4 estratégias simples para reduzir a gordura visceral

Gordura visceral: muito cuidado!
Yumi Saito Consultoria

Receba os posts por email assim que foram publicados

A gordura é um componente básico do corpo, que pode ser classificado em duas: a gordura subcutânea e a visceral. A primeira, está logo abaixo da pele, sendo mais visível, podendo ser apertada com os dedos. Ela não é muito preocupante para a saúde, já a gordura visceral sim.

A gordura visceral é aquela que se acumula na cavidade abdominal, entre os vários órgãos como o estômago, fígado e pâncreas e, quando em excesso, ocasiona perigos para a saúde. Ter gordura visceral em excesso pode aumentar o LDL (o colesterol “ruim”) e a pressão arterial; aumenta o risco de acidente vascular cerebral, doença de Alzheimer, doenças do coração, cancro colorretal e de mama, assim como pode tornar o indivíduo menos sensível ao hormônio insulina, que provoca um aumento dos níveis de açúcar no sangue, a glicose, aumentando o risco do desenvolvimento de  pré-diabetes ou até diabetes tipo 2.

Como saber se há excesso de gordura visceral?

Esta avaliação é feita através da medição da circunferência abdominal.

Na prática: Em pé,  passe uma fita métrica na altura do umbigo e verifique.

A recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é de que a cintura não ultrapasse 102 cm nos homens e 88cm nas mulheres.

Como reduzir ou evitar o acúmulo de gordura visceral?

1-      Rotina de Exercícios físicos

A prática de exercícios   que aumente a frequência cardíaca,  pelo menos três vezes por semana , durante  30 minutos ajuda a diminuir a quantidade de gordura visceral. Com um treino de intensidade os níveis de condicionamento físico melhoram, há aumento de força e de massa muscular e diminuição da massa gorda.

O desenvolvimento de massa muscular influencia diretamente na perda de gordura, devido às células musculares serem ricas em mitocôndrias, organelas celulares responsáveis pela produção de energia.

Quanto mais o corpo produz energia, menos gordura será acumulada.

Gordura visceral: muito cuidado! 1

2-      Alimentação

Alimentação com pouco açúcar e pouca gordura é fundamental para reduzir ou evitar a gordura visceral. O ideal é evitar  bebidas açucaradas,  industrializados, massas e dar prioridade à comida natural, como as frutas, legumes, verduras, raízes e carnes magras. É importante também dar  atenção ao modo de preparo, sendo mais indicado consumir in natura o que for possível e cozinhar em água ou vapor, assar ou grelhar.

Gordura visceral: muito cuidado! 2

3-      Controle do estresse

O estresse favorece o acúmulo  de gordura visceral. Ao estar estressado , o organismo libera a mais o hormônio cortisol , que quando permanece muito tempo em altos níveis, facilita a inflamação no corpo, aumento do apetite por alimentos doces e gordurosos, e o acúmulo de gordura  no organismo.

Gordura visceral: muito cuidado! 3

Práticas de meditação, exercícios físicos, leitura, arte, conversar com os amigos, dentre outras, são formas de controlar o estresse do dia a dia. É interessante ter um momento “relax” todos os dias.

4-      Sono de qualidade

O indicado é ter de sete a oito horas de sono por noite. Dormir bem, regenera o corpo, que esteve em atividade o dia todo, regula a secreção de hormônios e diminuem os níveis de estresse. Por isso ter noites de sono de qualidade é básico para a manutenção da saúde no geral.

Alimentação saudável, exercícios físicos regulares, alongamentos, aromaterapia, banho quente, chá de camomila, ler livros, ajudam a ter uma excelente noite de sono.

Gordura visceral: muito cuidado! 4

Com essas quatro estratégias simples , aplicadas ao dia a dia, é possível reduzir e até mesmo evitar o acúmulo da gordura visceral, que pode ser desenvolver diversos danos à saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também