Prisões no Japão estão se tornando um “santuário” de idosos

Prisões no Japão estão se tornando um “santuário” de idosos

Para idosos sem familiares próximos, a perspectiva de morar sozinho e morrer sozinho pode ser aterrorizante. Mas alguns idosos do Japão estão descobrindo que podem obter cuidados e camaradagem nas prisões

Por que idosos que vivem sozinhos estão aumentando? Essa é uma questão tão complicada para o Japão, que a NHK criou esse artigo para mostrar o que está acontecendo com esses idosos.

Takako Suzuki (esse não é seu nome verdadeiro) tem 76 anos e cumpre pena de prisão por roubo. É a segunda vez que ela é encarcerada.

Enquanto está presa na prisão de Kasamatsu, na província de Gifu, na região central do Japão, ela recebe tratamento para demência, que progrediu até o ponto dela não pode mais fazer contas simples.

Suzuki começou a furtar lojas após completar seus 70 anos. Ela roubou de alimentos a itens de necessidades básicos e já acumulou um longo histórico criminal.

Ela foi diagnosticada com demência durante seu primeiro período na prisão. Após sua libertação, foram necessários apenas seis dias para a polícia prendê-la por furtar novamente e enviá-la de volta.

A prisão de Kasamatsu abriga mais de 300 mulheres. Um em cada cinco tem pelo menos 65 anos de idade. Alguns precisam de ajuda com tarefas diárias rotineiras.

A02 - AT - Prisão no Japão
Presos da prisão de Kasamatsu se exercitando

Os presos se envolvem em trabalhos penais durante o dia, mas a demência de Suzuki significa que ela é incapaz de fazer o mesmo trabalho que os outros, então ela recebe atividades manuais simples para mantê-la ocupada.

Suzuki também requer atenção especial nas refeições. Ela tem que ficar longe dos outros presos porque tem o hábito de roubar comida.

Ela criou dois filhos e já trabalhou em uma loja de departamentos de cosméticos. Ela perdeu o marido e se separou dos filhos. Não há mais ninguém em quem ela possa confiar. “Eu estava sozinho em casa. Foi duro. Me senti infeliz e chorei muito”, disse Suzuki.

Ela está terminando novamente de cumprir sua pena. Para ajudá-la a parar de cometer crimes, a prisão está procurando uma instituição de bem-estar para vigiá-la.

Um fator por trás do aumento de crimes por parte de mulheres idosas é o aumento de famílias unipessoais. No Japão , mais de 4 milhões de mulheres idosas moram sozinhas. Isso é o dobro do número para homens idosos.

Espera-se que essa tendência aumente, devido à vida útil mais longa das mulheres do que aos homens e também porque as mulheres divorciadas ou solteiras estão crescendo em número.

A02 - AT - Prisão no Japão

Entre os crimes cometidos por mulheres com 70 anos ou mais, o furto representa 82,5%. Com o roubo de bagagem incluído, mais de 90% deles são furtos.

Para viver de forma independente após a prisão

Para ajudar os reclusos idosos a viverem sozinhos após o término de suas penas, a prisão está se empenhando mais na reabilitação.

Fisioterapeutas externos vêm para ajudar com exercícios, de acordo com a condição de cada recluso. Uma das detentas recuperou a capacidade de andar. Ela diz: “Eu nunca poderia ficar de pé ou andar sem me agarrar a algo. Fiquei muito melhor. Gosto daqui. Estou muito agradecida”.

Para os reclusos idosos que ainda têm saúde, a prisão os ajuda a permanecerem saudáveis nas aulas de ginástica, para que não precise de cuidados quando sair.

Com o aumento do número de idosos presos, as prisões estão lutando para recrutar cuidadores suficientes. Na prisão de Kasamatsu, os internos saudáveis ​​aprendem os cuidados de enfermagem como parte do treinamento profissional e ajudam os companheiros de prisão.

A02 - AT - Prisão no Japão
Preso aprendendo habilidades de cuidador

O diretor da prisão Takao Hosokawa, diz que é difícil para as prisões lidar com tantos detentos em cadeiras de rodas. “Contamos com internos saudáveis ​​e especialistas externos”, diz ele. “E temos que fazer com que nossos funcionários trabalhem o máximo possível”.

A ascensão dos idosos reincidentes

Chikako Tanaka (esse não é seu nome verdadeiro) não se encaixa na imagem de um típica ex-presidiária. A mulher de 85 anos fala com elegância e se veste com cuidado. Mas ela completou recentemente uma sentença de 18 meses de prisão por furto.

No dia em que foi libertada, ela voltou para casa com um membro de um grupo de apoio.

Logo ficou claro que ela não poderia morar em sua antiga casa novamente. O telhado estava muito danificado e havia sinais de seu declínio mental. Sua geladeira estava cheia de talheres.

Antes de seu encarceramento, ela estava morando sozinha e, como não tinha amigos íntimos para visitá-la, ninguém notou o aparecimento de demência.

Tanaka trabalhava em um bar e não era elegível para receber pensões, por isso viveu de suas economias. Quando essas economias acabaram, sem ninguém para pedir ajuda, ela começou a furtar lojas.

A02 - AT - Prisão no Japão
Um preso de 76 anos trabalhando sozinho

A professora da Universidade Ryukoku, Koichi Hamai, diz que algumas mulheres idosas vêem a prisão como uma maneira de escapar do isolamento social. Ele diz que é um reflexo de um problema que a sociedade japonesa está enfrentando.

Cuidados pós-prisão

Cada prefeitura do Japão tem um centro de apoio para ajudar ex-prisioneiros a se instalarem em comunidades e tentar reduzir a reincidência.

Os funcionários apoiam ex-prisioneiros idosos que moram sozinhos e não têm familiares ou amigos em quem confiar.

A02 - AT - Prisão no Japão
Equipe de reabilitação visita um detento de 76 anos da prisão de Kasamatsu

Um centro na província de Aichi, na região central do Japão, apoia Tanaka. Eles encontraram sua acomodação temporária, onde ela pode morar por seis meses. Nesse período, eles a ajudarão a encontrar um lar permanente, preencher solicitações de serviços de assistência e se preparar para uma nova vida como membro de uma comunidade.

Os funcionários do centro fizeram uma festa de aniversário quando Tanaka completou 85 anos. Tanaka disse que foi a primeira vez em duas décadas que ela teve uma festa de aniversário adequada.

A02 - AT - Prisão no Japão
A ex-presidiária comemora seu 85º aniversário

Tanaka está gradualmente se reajustando a uma vida externa onde, segundo a equipe do centro de suporte, ela viverá seus últimos anos.