Como se chamariam os 27 estados do Brasil em japonês

Rio dos Tucanos, Rio Ruim, Rio dos Caranguejos, Rio dos Jacarés, os nomes dos 27 estados do Brasil em japonês parecem ser em sua maioria relacionados à rios

Como se chamariam os 27 estados do Brasil em japonês

Tchê, há algum tempo eu publiquei aqui no Todo Dia um artigo, brincando com os nomes das 47 províncias do Japão em português do Brasil, se tu ainda não viu, corre lá pra ver. Pois bem, hoje eu venho fazer o caminho inverso, trarei aqui uma opção de nomenclatura para os estados brasileiros em japonês. Mas atenção, assim como no post anterior, não tenho nenhuma pretensão de estar certo em minhas “traduções”, aliás, nem são traduções, são na verdade minha humilde versão para os nomes dos 27 estados do Brasil em japonês. Ah, e pra complementar este post, lá no DSK Tchê eu escrevi um artigo com os nomes das capitais brasileiras em japonês, dá uma olhadinha depois!

Na grande maioria das publicações em japonês, tu encontrarás os estados brasileiros com aquela tradução padrão, escrita em katakana, que cá entre nós, geralmente fica bem esquisita. Outro aspecto que às vezes encontramos e que gostaria de explorar neste artigo, é o que chamamos de “localização” em traduções, ou seja, o uso de um termo que faz mais sentido localmente, mas que nem sempre é uma tradução literal.

Como se chamariam os 27 estados do Brasil em japonês 1
Mapa do Brasil com os nomes de algumas de suas principais capitais. Imagem: Internet

Na imagem acima, pode-se perceber os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, indicados como Pantanal Norte (北パンタナールkitapantanaaru) e Pantanal Sul (南パンタナールminamipantanaaru), respectivamente. Este é o tipo de alternativa que escolhi quando fiz a escolha pelos nomes das províncias japonesas em português e é também o caminho que utilizarei ao dar nomes para os 27 estados do Brasil em japonês! Vamos nessa?

Acre – 鰐川 (わにがわ – wanigawa)

O nome Acre surgiu de Aquiri, que significa “rio dos jacarés” na língua nativa dos índios Apurinãs, habitantes originais da região, que é banhada pelo rio que empresta o nome ao estado. Assim sendo, chamaremos o estado do Acre de 鰐川 (わにがわwanigawa). Lembrando que sempre que a palavra rio (kawa) vem logo após outra formando um nome, ela recebe a pronúncia gawa.

Alagoas – 多く池 (おおくいけ – ookuike)

De acordo com o historiador Álvaro Queiroz em seu livro “Episódios da História das Alagoas”, edição de 1999, “as várias lagoas existentes em nossa terra levaram os primeiros colonizadores a batizá-la com o nome de Alagoas”. Por este motivo, passaremos a chamar o estado de 多く池 ( おおくいけookuike ), muitas lagoas.

Amapá – 雨土地 (あめとち – ametochi)

A palavra amapá é de origem indígena e vem da nação Nuaruaque, que habitava a região Norte do Brasil, na época do descobrimento. Significa, segundo Antônio Lopes (Topônimos Tupis, in Revista de Geografia e História, nº 2, São Luís, Sioge-Ma, 1947), “Lugar da Chuva” . ama (chuva) + ou para (lugar, estância, morada). Para a escolha do nome do estado em uma tradução localizada, podemos usar portanto, 雨土地 (あめとちametochi), literalmente, terra chuvosa.

Amazonas – 水音 (みずおと – mizuoto)

O nome Amazonas é de origem indígena. Vem da palavra amassunu, que significa ruído das águas. Foi o capitão espanhol Francisco Orelhana quem batizou a região após descer o rio Amazonas em 1541. Tendo em conta esta origem, chamaremos o estado do Amazonas de 水音 (みずおとmizuoto), barulho da água.

Bahia – 聖人湾 (せいじんわん – seijinwan)

O topônimo “Bahia” é uma referência à Baía de Todos os Santos, a qual deu o nome, originalmente, à Capitania da Baía de Todos os Santos. A capitania foi transformada, em 1821, em província. Em 1889, a Província da Bahia tornou-se o atual estado da Bahia. Usaremos então o nome 聖人湾 (せいじんわんseijinwan), ou baía dos santos (baía de todos os santos ficaria meio feio, haha).

Brasília – ニポニカ (niponika)

Brasília é o feminino de brasílio. O mesmo que: brasileira, brasiliana, brasílica. Por este motivo, o nome do nosso Distrito Federal seria ニポニカ, uma brincadeira com a escrita em katakana, mas criado a partir da forma como nós, brasileiros, nos referimos à algo do Japão.

Ceará – 鸚哥歌 (いんこうた – inkouta)

O grande escritor José de Alencar, conhecedor da língua tupi, afirma que Ceará se deriva de Siará, que significa “canto das Jandaias”. Esta afirmação é corroborada por diversos historiadores. A jandaia é uma espécie de papagaio (鸚哥いんこinko), logo uma boa opção de tradução para o nome deste estado seria 鸚哥歌 (いんこうたinkouta), canto dos papagaios, e é esta que usaremos.

Espírito Santo – 聖霊 (せいれい – seirei)

O nome do estado faz referência a 23 de maio de 1535, domingo do Espírito Santo (ou dia de Pentecostes), dia em que Vasco Fernandes Coutinho chegou à região. Usaremos a expressão literal para “Espírito Santo” em japonês, 聖霊 (せいれいseirei).

Goiás – 永遠同 (えいえんどう – eiendou)

O nome Goiás origina-se da denominação da tribo indígena guaiás, que quer dizer “indivíduo igual, gente semelhante, da mesma raça”. Confesso que este me deu um certo trabalho para encontrar um equivalente, mas ao fim optei por usar 永遠同 (えいえんどうeiendou), que significa “eternamente o mesmo”.

Maranhão – 走る海 (はしるうみ – hashiruumi)

A origem de Maranhão, estado que abriga os Lençóis Maranhenses, é uma das mais misteriosas entre os estados brasileiros. Sabe-se que vem de Marañón, mas o termo pode ter origem tupi-guarani e significar “o mar que corre” ou vir do espanhol e se referir a cajueiros. Usaremos a primeira opção, por ser a mais aceita entre os estudiosos, ficando com o nome 走る海 (はしるうみhashiruumi).

Mato Grosso – 厚い森 (あついもり – atsuimori)

O nome Mato Grosso é originário de uma grande extensão de sete léguas de mato alto, espesso, quase impenetrável, localizado nas margens do rio Galera, percorrido pela primeira vez em 1734 pelos irmãos Paes de Barros. Com esta referência, daremos o nome de 厚い森 (あついもりatsuimori) à este importante estado brasileiro. 厚い (あつい atsui) = grosso e (もりmori) = mato.

Mato Grosso do Sul – 南厚い森 (みなみあついもり – minamiatsuimori)

O termo “Mato Grosso do Sul” deriva do nome do vizinho “Mato Grosso”, estado do qual aquele foi desmembrado quando de sua criação. Portanto, usaremos a mesma terminologia, adicionando apenas “Sul” ao nome, tendo assim, 南厚い森 (みなみあついもりminamiatsuimori).

Minas Gerais – 鉱山 (こおざん – koozan)

Minas Gerais tem esse nome literalmente por abrigar campos de extração de inúmeros minérios, principalmente ouro, denominadas “minas gerais”, em oposição às minas particulares ou por sua variedade de minério. No início do século XVIII, a região era simplesmente denominada Minas. E assim chamaremos o antigo País dos Cataguás de 鉱山 (こおざんkoozan), que significa minas.

Pará – 川の海 (かわのうみ – kawanoumi)

A origem do nome Pará vem do termo “pa’ra”, o mesmo que “rio-mar” na língua tupi-guarani. Era assim que os índios denominavam um dos braços – o direito – do rio Amazonas. Assim, em japonês homenagearemos a origem indígena do nome do estado e o chamaremos de 川の海 (かわのうみkawanoumi).

Paraíba – 悪川 (あくがわ – akugawa)

Paraíba vem do idioma tupi, que significa “rio ruim” (pará, “rio grande” + aíb, “ruim” + a, sufixo), no caso, ruim para navegação. Assim sendo, chamaremos o estado de 悪川 (あくがわakugawa), que significa rio ruim.

Paraná – 豊富な川 (ほふながわ – hofunagawa)

Paraná em tupi-guarani significa “rio caudaloso”, sendo este o nome dado pelos primitivos habitantes do estado quando de seu encontro com o homem branco. Assim, chamaremos este estado brasileiro de 豊富な川 (ほふながわhofunagawa), ou seja, rio abundante.

Pernambuco – 海割目 (うみわれめ – umiwareme)

A origem do nome Pernambuco esteve sempre ligada ao tupi. A soma dos termos paranã (rio caudaloso, rio abundante, mar) e buka (fenda, rachadura, buraco), que significaria “buraco no mar” ou “mar furado”, é a versão mais aceita por pesquisadores. Para nosso nome em japonês, utilizaremos, 海割目 ( うみわれめumiwareme), que significa “divisão do mar”.

Piauí – 塗魚川 (ぬりうおがわ – nuriuogawa)

A origem do nome Piauí está ligado aos indígenas que habitavam a região antes da chegada dos homens brancos. A expressão significa rio dos peixes pintados, piau = peixe pintado e i = água. Foi traduzida pelos primeiros colonizadores como rio dos piaus. Usaremos uma expressão em japonês que significa exatamente a mesma coisa, 塗魚川 (ぬりうおがわ – nuriuogawa), ou seja, rio de peixes pintados.

Rio de Janeiro – 隠水 (こもみず – komomizu)

O nome Rio de Janeiro foi um equívoco cometido pelos navegadores. Ao chegar à entrada da Baía de Guanabara, acreditavam estar diante da foz de um rio. Como era o primeiro dia do ano, chamaram-no Rio de Janeiro. A Baía de Guanabara é um nome de origem indígena, que significa “água escondida”. Para nossa tradução, homenagearemos o nome indígena mais uma vez, tendo assim 隠水 (こもみずkomomizu), ou seja águas escondidas.

Rio Grande do Norte – 北大川 (きたおおがわ – kitaoogawa)

Batizado no século 16 em homenagem ao comprido Rio Potengi, com 176 km de extensão, o estado do nordeste brasileiro chamava-se apenas Rio Grande. Foi somente no século 18, com a conquista do território do Rio Grande de São Pedro, na região sul do Brasil, que atribuíram o termo “Norte” para diferenciar o território potiguar do Rio Grande do Sul. Para o nome deste importante estado brasileiro, usaremos uma tradução literal, 北大川 (きたおおがわkitaoogawa), que significa exatamente rio grande do norte.

Rio Grande do Sul – 南大川 (みなみおおがわ – minamioogawa)

Tchê, o nome do estado mais bagual do Brasil é assim porque, quando os portugueses chegaram à foz da Lagoa dos Patos, não sabiam que se tratava de um lago e batizaram aquele mundão de água, com 265 km de comprimento, de “Rio Grande”. Para o meu querido garrão sulino, também usarei uma tradução literal, ficando 南大川 (みなみおおがわ – minamioogawa).

Rondônia – 倫敦国 (ろんどんこく – rondonkoku)

Este importante estado brasileiro leva esse nome em homenagem à Marechal Rondon, militar brasileiro que foi um grande desbravador da região e responsável pela descoberta de vários rios, o estabelecimento de contato com diversas tribos indígenas e outros muitos feitos. O sufixo -ia, de origem latina, era usado para formar locativos pátrios. Assim, Grécia, Lusitânia, Hispânia eram, respectivamente, a pátria dos Gregos, a pátria dos Lusitanos, a pátria dos Hispanos. Deste modo se formaram na língua portuguesa os topônimos Suécia, Turquia, Rússia e no caso do estado em questão, Rondonia (Rondon + ia). Se utilizarmos o recurso do ateji (escolher os kanji pelo som) podemos atribuir a seguinte tradução: 倫敦国 (ろんどんこくrondonkoku), que significa terra de Rondon.

Roraima – 青山 (あおやま – Aoyama)

O nome do estado de Roraima origina-se das palavras roro, rora, que significa verde, e ímã, que quer dizer serra, monte, no idioma indígena ianomâmi, formando serra verde, que reflete o tipo de paisagem natural encontrada na região. Assim, em japonês usaremos o nome 青山 (あおやまAoyama), que significa monte verde (se tu quiser entender porque Ao nesse caso é verde e não azul, confere aqui -> Azul ou Verde, um mergulho no mundo das cores em japonês)

Santa Catarina – カタリーナ (せいカタリーナ – seikatariina)

Há divergências quanto ao responsável pela denominação de Santa Catarina: alguns autores atribuem à Sebastião Caboto, em homenagem à sua esposa, Catarina Medrano; outros defendem que tenha sido em homenagem à Santa Catarina de Alexandria, festejada pela igreja católica em 25 de novembro. De qualquer forma, adotaremos em japonês uma tradução (quase) literal, 聖カタリーナ (せいカタリーナseikatariina), utilizando o kanji (せい), que significa santo, sagrado, puro.

São Paulo – パウロ (せいパウロ – seipauro)

Um dos mais importantes estados brasileiros leva o nome homônimo à sua capital, herança da época em que era a Capitania de São Paulo. Assim como Santa Catarina, utilizaremos a mesma lógica na adaptação do nome do mais populoso dos 27 estados do Brasil em japonês. 聖パウロ (せいパウロseipauro), utilizando o kanji (せい), que significa santo, sagrado, puro.

Sergipe – 蟹川 (かにがわ – kanigawa)

O primeiro povoamento dos colonizadores da região foi denominado São Cristóvão e tornou-se sede da capitania de Sergipe D’El-Rei. O nome Sergipe vem do tupi e quer dizer rio dos siris. Assim, como se o Brasil já não tivesse estados suficientes com nome de rio, chamaremos Sergipe de 蟹川 (かにがわkanigawa), ou seja, rio dos caranguejos.

Tocantins – オオハシ科川 (オオハシかがわ – oohashikagawa)

O nome “Tocantins” é uma referência ao rio Tocantins, que corta o estado de sul ao norte. Trata-se de um termo oriundo do tupi antigo, que significa “bicos de tucanos”, através da junção dos termos tukana (“tucanos”) e tim (“bicos”). Por este motivo, chamaremos o último de nossa lista dos 27 estados do Brasil em japonês de オオハシ科川 (オオハシかがわoohashikagawa), usando os termos オオハシ科 (オオハシかoohashika), que significa tucano e (かわ), que significa rio, formando o rio dos tucanos.

Tabela de nomes dos 27 estados do Brasil em japonês

EstadoTradução ComumTradução SugeridaSignificado
Acreアクレ州鰐川
(わにがわwanigawa)
Rio dos Jacarés
Alagoasアラゴアス州多く池
(おおくいけokuike)
Muitas Lagoas
Amapáアマパ州雨土地
(あめとちametochi)
Terra Chuvosa
Amazonasアマゾナス州水音
(みずおとmizuoto)
Barulho
da Água
Bahiaバイア州聖人湾
(せいじんわんseijinwan)
Baía dos Santos
Brasília
(Distrito Federal)
ブラジリアニポニカ
(niponika)
Japonesa
Cearáセアラ州鸚哥歌
(いんこうたinkouta)
Canto dos Papagaios
Espírito
Santo
エスピリトサント州聖霊
(せいれいseirei)
Espírito
Santo
Goiásゴイアス州永遠同
(えいえんどうeiendou)
Eternamente o Mesmo
Maranhãoマラニアオ州走る海
(はしるうみhashiruumi)
Rio que Corre
Mato Grossoマトグロッソ州厚い森
(あついもりatsuimori)
Mato Grosso
Mato Grosso do Sulマトグロッソドスル州南厚い森
(みなみあついもりminamiatsuimori)
Mato Grosso do Sul
Minas
Gerais
ミナスジェライス州鉱山
(こおざんkoozan)
Minas
Paráパラ州川の海
(かわのうみkawanoumi)
Rio-Mar
Paraíbaパライバ州悪川
(あくがわakugawa)
Rio Ruim
Paranáパラナ州豊富な川
(ほふながわhofunagawa)
Rio Abundante
Pernambucoペルナンブコ州海割目
(うみわれめumiwareme)
Divisão do Mar
Piauíピアウイ州塗魚川
(ぬりうおがわnuriuogawa)
Rio de Peixes Pintados
Rio de Janeiroリオデジャネイロ州隠水
(こもみずkomomizu)
Água Escondida
Rio Grande
do Norte
リオグランデドノルテ州北大川
(きたおおがわkitaoogawa)
Rio Grande
do Norte
Rio Grande do Sulリオグランデドスル州南大川
(みなみおおがわminamioogawa)
Rio Grande
do Sul
Rondôniaロンドニア州倫敦国
(ろんどんこくrondonkoku)
Terra dos Rondon
Roraimaロライマ州青山
(あおやまAoyama)
Monte Verde
Santa Catarinaサンタカタリーナ州聖カタリーナ
(せいカタリーナseikatariina)
Santa Catarina
São Pauloサンパウロ州聖パウロ
(せいパウロseipauro)
São Paulo
Sergipeセルジッペ州蟹川
(かにがわkanigawa)
Rio dos Caranguejos
Tocantinsトカンティンス州オオハシ科川
(オオハシかがわoohashikagawa)
Rio dos Tucanos

Takara Stefens é Gaúcho de nascimento, alma e coração, cidadão do mundo por opção. É pai, professor, escritor, amante da vida e de tudo que é belo. Também escreve lá no Nihon Daisuki Tchê ( http://bit.ly/dsktche )

Veja o perfil completo de Takara Stefens

Deixe uma resposta

Leia mais posts relacionados