As Superfoods do Japão: alimentos tradicionais que te ajudam a manter a saúde

As Superfoods do Japão: alimentos tradicionais que te ajudam a manter a saúde

As Superfoods ou Superalimentos, é um termo utilizado para descrever alimentos com muitos benefícios para a saúde

Consumir alimentos variados, naturais e em quantidades diárias adequadas a necessidade de cada um é a maneira mais simples e inteligente de se ter uma alimentação saudável e equilibrada, o que é fundamental para melhorar o sistema imunológico e assim estar menos suscetível a todos os tipos de infecções.

Ao contrario de um pensamento do senso comum, a maioria das pessoas não precisa de quaisquer suplementos alimentares, shakes, ou uma “poção milagrosa” para obter saúde, mas sim, bons alimentos para manter naturalmente o funcionamento ideal do organismo.

Muitos alimentos tradicionais japoneses são ricos em antioxidantes, vitaminas, minerais e até em bactérias – bactérias boas, essenciais para a saúde intestinal, que está diretamente relacionado com o sistema de defesa do corpo.

Além de saudáveis, os alimentos na lista das Superfoods do Japão são deliciosos. Confira:

Matcha

O Matcha é feito de folhas de chá verde de alta qualidade, desengorduradas e moídas até a forma em pó. O pó é misturado com água para que se consuma a folha inteira, ao contrário do chá verde comum, onde as folhas são mergulhadas em água quente e depois removidas.

O Matcha é tradicionalmente consumido em Cerimônias do chá, onde a bebida é preparada passo a passo com elegância e respeito. Não somente em Cerimonias, o Matcha faz parte do dia-a-dia dos japoneses, e também de muitos estrangeiros que residem no Japão.

Hoje em dia, o matcha pode ser encontrado em vários tipos de bebidas e alimentos, que podem ser reconhecido pela cor verde do produto.

O Matcha é repleto de antioxidantes – até 137 vezes mais do que outros tipos de chá verde – que ajudam a reduzir os danos às células e combater doenças crônicas. Beber Matcha também pode ajudar a proteger contra doenças cardíacas e reduzir o colesterol “ruim”. Se ajuda no metabolismo de gordura, ainda não há estudos crônicos que comprovem esse efeito.

O Matcha contém cafeína, mais que café e chá verde, portanto, o consumo precisa ser moderado, principalmente para pessoas que têm hipertensão arterial ou dificuldades para dormir.

Uma  dica importante ao preparar o Matcha, é usar água quente, mas não fervente, para misturá-lo (cerca de 80º).

A12 - Yumi Saito

Miso (missô)

Miso é uma pasta de soja fermentada que é um pilar culinário no sabor da comida japonesa. Historicamente, o miso era um ingrediente de luxo não disponível para a população em geral, mas hoje é encontrado em todas as casas japonesas.

São diferentes tipos, dependendo da duração da fermentação e dos ingredientes secundários. O miso Shiro (branco) , muito versátil, é fermentado por mais de dois meses. O miso Shinsu (amarelo) é de sabor suave e fermentado um pouco mais que o miso shiro. O miso Aka (vermelho), é fermentado por até três anos e tem o sabor mais salgado e acentuado que pode facilmente dominar outros sabores.

O miso é mais consumido no Japão como miso shiru, ou sopa de missô, pode ser misturado com um caldo de peixe ou algas marinhas e adicionado outros ingredientes. Também é comumente usado como marinada ou tempero para carnes, peixes  e vegetais.

Por ser um alimento fermentado, o miso é uma ótima fonte de probióticos (bactérias boas), o que aumenta a saúde do intestino e melhora o sistema imunológico. O miso também é rico em proteínas, em minerais como manganês e zinco e vitamina E, vitamina K, várias vitaminas do complexo B e ácido fólico. No entanto, o miso tem o alto teor de sal, por isso deve ser consumido sem exagero.

A12 - Yumi Saito

Yuzu

O Yuzu é uma fruta cítrica originária do Japão, com gosto parecido com um limão suave e uma grapefruit. A polpa da fruta quase nunca é consumida sozinha. Na verdade, o sabor refrescante do yuzu é retirado do suco e da casca, podendo  ser usado de várias maneiras, como em chás, bebidas gasosas e bebidas alcoólicas. As raspas da casca também são usadas para acentuar o sabor de uma prato simples, por exemplo, e é possível ser encontrada nos supermercados, na área de temperos.

A forma mais comum do yuzu em uma cozinha japonesa é o ponzu, um molho à base de yuzu feito com vinagre de arroz e outros ingredientes. Também pode-se ter o yuzu flutuando em onsen (águas termais), por causa de seu aroma relaxante e óleos rejuvenescedores.

Assim como qualquer fruta cítrica, o yuzu é uma ótima fonte de vitamina C, o que é excelente para o sistema imunológico. Essa Superfood contem três vezes mais vitamina C que os limões, tem antioxidantes, e os compostos da casca são capazes de reduzir a inflamação e aumentar o fluxo sanguíneo.

A fragrância yuzu também é conhecida por reduzir o estresse, o que explica por que muitas vezes pode ser encontrada como óleo essencial, em cosméticos e sprays perfumados.

A12 - Yumi Saito
Foto: Istock

Kaiso (Algas)

O kaiso, em japonês, é termo genérico para todas as algas marinhas. Elas são  consumidas de várias maneiras no Japão. Semelhante à spirulina, um superalimento ocidental, que também uma alga marinha, o kaiso tem benefícios excepcionais para a saúde.

O Konbu, é usado para fazer caldos, e geralmente não é consumido diretamente.

O Wakame é comumente visto na sopa de missô e é uma alga mais fina que geralmente é encontrada na forma desidratada, a qual depois reidratada para serem consumidas em sopas em sopas, saladas e sunomono, acompanhamentos à base de vinagre.

Hijiki é uma alga preta, pequena e de sabor suave. Ela é muito consumida como salada e refogados, mas também, em sopas.

O Nori é o tipo de alga marinha mais conhecida pelos estrangeiros. É uma folha de alga seca, torrada e às vezes frita, perfeita para comer crua, com onigiri ou sushi.

As algas são uma ótima maneira de consumir vitaminas e minerais, sem ingerir muitas calorias. Elas contêm vitaminas A, B, C e E, e também contêm ferro, proteínas e fibras. Além disso, são  ricas em iodo, o que ajuda no funcionamento ideal da tireoide e ajuda a prevenir o hipertireoidismo.

A12 - Yumi Saito
Foto: Istock

Natto (natô)

Um dos alimentos mais polêmicos do Japão é o natto: aquele que “você ama ou odeia”. É um pouco picante e neba-neba – pegajoso – feito de soja fermentada. Os japoneses consomem 7,5 bilhões de pacotes de natto por ano, o que pode estar relacionado com a longevidade dessa população.

O natto pode ser encontrado facilmente em todos os supermercados e em lojas de conveniência japonesas em pequenos recipientes de tamanho padrão (40g). Basta abrir a embalagem, misturar com o molho que vem junto e comer. Pode ser adicionado ovo cru ou arroz branco, sendo esse um café da manhã perfeito para um japonês.

O natto também pode ser encontrado em sushi, colocado dentro do pão, dentre muitas outras formas genuinamente deliciosas.

Semelhante ao miso, o natto é um alimento fermentado, o qual possui grandes quantidades de bactérias benéficas  ​​ao intestino, e como é produto de soja, nele contem proteínas. Também é rico em vitamina K2, nutriente pouco encontrado em outros alimentos, que tem potenciais benefícios para a saúde dos ossos, prevenindo a osteoporose, além de reduzir o risco de doenças cardiovasculares, segundo estudos publicados pelo European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition (EPIC).

A12 - Yumi Saito

Umeboshi

Umeboshi são ameixas em conserva, pequenas bolinhas vermelhas conhecidas por ter o sabor azedo. Essas conservas são feitas de ameixas japonesas maduras, as quais são salgadas e secas e, em seguida, mantidas em vinagre de ume-zu e ameixa.

O que, no passado, era somente azedo, no presente,  o umeboshi pode ser encontrado  em vários graus de azedo e sal, bem como em variedades agridoces.

As ameixas em conserva japonesas são consumidas juntamente com arroz branco, assim neutralizando os sabores, em onigiri e sushi. Algumas pessoas  até colocam direto na boca.

A história desse alimento é muito interessante. Séculos atrás, o umeboshi era usado no Japão como remédio, para purificar a água, curar disenterias e combater a febre tifoide.

Hoje em dia, tem-se um pouco mais de ciência que relacionam o umeboshi e o funcionamento saudável do sistema imunológico. Estudos mostram que comer umeboshi pode ajudar a proteger e a prevenir doenças do fígado. Por esse motivo, também é conhecido no Japão como remédio para “curar a ressaca”.

Além disso, é uma prevenção natural para o câncer pois estudos mostraram que o extrato de ume interrompeu o crescimento de células cancerígenas. Essa superfood é super rica em antioxidantes e fibras, mas em sal também. Cuidado sempre!

A12 - Yumi Saito

 Zakkoku

O zakkoku-mai ou zakkoku intensifica o sabor do arroz comum. Zakkoku se traduz em “grãos miúdos”, e mai é “arroz”. É uma mistura de arroz comum com qualquer combinação de milho, cevada, quinoa, aveia e outras sementes e grãos semelhantes.

A adição de zakkoku ao arroz aumenta significativamente a ingestão de nutrientes em uma porção, sem causar muita diferença no sabor ou na consistência.

Em supermercados japoneses, pode ser encontrado em embalagens já o mix de zakkoku-mai. Basta seguir as instruções de preparo.

O zakkoku-mai contem mineiras como ferro, magnésio e zinco, fornece grandes quantidades de fibra, o que ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, diminui o colesterol, melhora a saúde digestiva e pode ajudar no controle de peso, pelo fato de aumentar a saciedade por mais tempo.

É válido ressaltar que para desenvolver saúde ao máximo, boa alimentação e exercícios físicos regulares  devem estar caminhando juntos.

Referências:

European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition (EPIC).

VAN’T VELD, Erika. 7 Japanese Superfoods To Boost Your Immune System. Disponível em: www.savvytokyo.com. Acesso em 06/04/2020.

Fundadora de YUMI SAITO SPORTS LIFE & CONSULTORIA, é professora de Educação física, especializada em educação especial. Tem 11 anos de experiência em treinamento de grupos especiais e educação física escolar.

Veja o perfil completo de Yumi Saito