A realidade sobre os animais abandonados no Japão

A realidade sobre os animais abandonados no Japão

Descubra o que acontece com os cães e gatos que foram abandonados por seus donos

Uma das primeiras coisas que nos impressionam quando estamos em território japonês é o fato de não nos depararmos com cachorros de rua, os famosos vira-latas.

A realidade sobre os animais abandonados no Japão 1

Inclusive esse fato é falado com orgulho pelos estrangeiros residentes no país. Entretanto, o motivo por trás das ruas limpas e sem vestígios dos famosos amigos de quatro patas, infelizmente, não é positiva como muitos imaginam.

Acredite, muitos animais são levados pelos próprios donos ao centro de saúde pública (hokenjyo), e deixados lá porque não os querem mais em suas casas.

Uma pesquisa feita no hokenjyo revela os principais motivos que levaram os donos a abandonarem os seus amigos mais fiéis:

  • Simplesmente não pode cuidar;
  • Morte do proprietário;
  • Porque o proprietário é idoso;
  • Divórcio;
  • Doença;
  • Alergias;
  • Mudança para um espaço menor;
  • Assuntos de família;
  • A repetição das caminhadas não é possível para o proprietário.

Quanto aos cachorros:

  • Late demais;
  • Agressividade;
  • Hábito de morder;
  • Muito quieto;
  • Suja a casa;
  • Doenças;
  • Envelhecimento;
  • Deu cria;
  • Deu de presente para os filhos e depois que o filhote cresceu, perderam o interesse.

O preço pago pelos animais

Além de preencher um formulário com o motivo de deixar o animal sob a responsabilidade do hokenjyo, o dono do cão precisa assinar um termo, onde lhe é informado o possível destino desse animal, onde na maioria das vezes, é a morte por sufocamento na câmara de gás.

Algumas ONGs de animais recolhem, dentro de suas capacidades, alguns animais para que eles possam ter uma segunda chance, uma segunda família.

Se dentro do período estipulado não houver procura pelo cachorro, ele então vai para uma espécie de caixa apertada e será sacrificado.

A realidade sobre os animais abandonados no Japão 2

O procedimento excruciante envolve colocar animal em uma câmara de gás, onde são lentamente sufocados com dióxido de carbono e todo o processo pode durar até 15 minutos. A câmara é equipada com uma janela de vidro, que permite ao operador verificar se o procedimento está completo.

Os gatos frequentemente se batem contra suas gaiolas, tentando desesperadamente escapar. Os cães uivam, choram e arranham as paredes de metal das câmaras, enquanto são lentamente envenenados.

Finalmente, seus restos mortais são despejados em um incinerador para serem descartados.

Todo o sofrimento de cães idosos retratados em um livro

As expressões faciais de tais cães mais tarde “adormecidas”, independentemente dos esforços avançados para acabar com a eutanásia animal no Japão, são mostradas em Rokentachi no Namida: Inochi to Kokoro wo Mamoru 14 no HohoLágrimas de cães idosos: 14 maneiras de proteger sua vidas e corações, publicado pela Kadokawa Corp.

A fotógrafa Sae Kodama baseia seus trabalhos na coexistência de humanos e animais há mais de 20 anos. Ela tira imagens de cães e gatos logo antes de serem colocadas em abrigos públicos de animais e as exibe em exposições de fotos que ela organiza desde 1998.

As exposições ajudaram a atrair a atenção do público para a dura realidade da eutanásia animal no Japão. Ela diz que há mais órgãos locais envidando esforços para eliminar a eutanásia animal e o número anual de cães abatidos diminuiu em comparação com quando ela começou a realizar as exposições.

No entanto, 8711 dos 39327 cães abandonados em abrigos de animais foram adormecidos no ano fiscal de 2017, sem nunca retornar aos seus parceiros humanos ou encontrar novos donos, de acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente. Muitos dos cães sacrificados são idosos. Kodama explicou: “Comparado a filhotes e cães jovens, é difícil encontrar pessoas que adotem cães idosos.

Com algumas exceções, como abrigos de animais de ponta e instalações que promovem adoção, eles ( os cães idosos) ficam sujeitos à eutanásia imediatamente após a chegada nos abrigos.

A realidade sobre os animais abandonados no Japão 3

Para informar o público sobre o que realmente está acontecendo, Kodama realizou entrevistas em vários abrigos de animais em todo o Japão para perguntar aos trabalhadores como os cães mais velhos acabaram nas instalações e também tirou fotos dos animais que foram abandonados lá.

Com base em suas entrevistas, Kodama fornece quatro razões em seu novo livro Por que os cães idosos são deixados em abrigos de animais:

  • Os donos ficam velhos demais;
  • Mudam para um novo local;
  • Abandonam suas responsabilidades de cuidar de cães idosos ou
  • Por razões desconhecidas.

Isso inclui casos em que os trabalhadores nas instalações capturam cães idosos perdidos.

Durante sua visita a um abrigo de animais, Kodama testemunhou uma mulher de meia-idade deixar seu animal de estimação Pomeranian, ainda dentro de uma bolsa de transporte, nas instalações, porque o proprietário pensou que “seria triste demais” ver seu cachorro morrer. Em vez de passar seus últimos momentos com seu parceiro humano, o senhor Pomeranian foi colocado em uma câmara de gás.

“Os que matam cães idosos não são funcionários que trabalham nessas instalações. São os proprietários que fogem de suas responsabilidades em cuidar dos cães e abandoná-los”, disse Kodama.

Em seu livro, ela também fornece 14 maneiras de mudar esse tipo de situação, que ela percebeu ao realizar entrevistas em abrigos de animais, incluindo encontrar alguém que possa cuidar de um cão de estimação sênior, caso algo aconteça com seu dono e economizar dinheiro para o cão de estimação, entre outras medidas.

Kodama acrescentou: “Ao divulgar informações sobre a realidade dos cães idosos abandonados e sua agonia, quero alertar as pessoas contra a possibilidade de adquirir esses animais de estimação sem uma consideração cuidadosa e de se tornarem proprietários irresponsáveis.

Espero que (o livro) ajude a aumentar o número de cães que levam vidas felizes depois de envelhecerem e morrerem naturais e reduzirem o número de cães idosos infelizes”.

Acesse o blog da fotógrafa para conhecer um pouco mais do seu trabalho.

A luta diária dos protetores dos animais

Quem conhece ou acompanha o trabalho de ONGs ou NPOs dedicadas à proteção animal, sabe da dificuldade que é manter o local, além de ceder espaço para receber novos animais que necessitam de ajuda urgentemente.

A maior queixa de quem gerencia esses abrigos é a falta de espaço para receber os animais, uma vez que os abrigos estão com lotação máxima na maioria das vezes.

Mas como virar as costas para um animal que precisa de ajuda? Muitos gatos são atropelados e largados na rua para morrer. Sem contar os que são envenenados ou judiados.

Na cidade de Iwata, na província de Shizuoka, existe uma organização sem fins lucrativos dedicada à causa animal, a TNR Felinos Japan.

A realidade sobre os animais abandonados no Japão 4

O abrigo mantém vários gatos que precisam de abrigo por inúmeros motivos, dentre eles os maus-tratos e o abandono. O local também permite visitações para que os gatinhos possam receber carinho dos amantes dos animais.

Segundo informado no site da TNR: “nós procuramos ajudar os animais doentes e feridos. Dependendo da gravidade da condição do animal, quando necessário, eles são levados para receber atendimento médico em hospitais e clínicas veterinárias particulares. Uma vez tratado, o animal é liberado para as ruas ou colocado para adoção, dependendo das circunstâncias.

O Felinos Japan também se concentra em esterilizar o maior número possível de gatos, pois é a única maneira de acabar com esse sofrimento. Nossa organização depende da ajuda de doadores para oferecer esses serviços aos animais abandonados. Dependemos dos simpatizantes para garantir que eles recebam comida, tratamento e outras necessidades básicas.

Nós do Felinos Japan, percebemos que só podemos criar consciência sobre os animais mostrando nossa compaixão e amor. Como seres humanos, alguns animais, como cães e gatos, também precisam de habilidades de enfrentamento. Antes de enviá-los para adoção, treinamos-os para se adaptarem as novas famílias”.

Para mais informações acesse o site Felinos Japan.