Falta de máscaras cirúrgicas faz preços dispararem

Falta de máscaras cirúrgicas faz preços dispararem

Devido a alta procura e a escassez de máscaras, revendas on-line aproveitam para lucrar muito com o medo do Coronavírus

Os fabricantes estão a todo vapor para produzir máscaras cirúrgicas suficientes para atender à demanda gigante, mas muitos consumidores não conseguiram encontrá-las em farmácias ou lojas de conveniência, que normalmente oferecem uma variedade de produtos antes da temporada de Kafunsho no Japão (conhecida como febre do feno ou pólen).

A farmácia Sanzenri Yakuhin, em Shibuya, recebeu 2500 máscaras faciais em uma manhã. Foram necessários apenas 15 minutos para que todas fossem vendidas.

Falta de máscaras cirúrgicas faz preços dispararem 1
Foto: Kyodo News

O gerente Yasushi Higa disse que tem sido a mesma história durante toda a semana. Assim que ele recebe, todas são vendidas instantaneamente, pois as pessoas temem um surto de coronavírus.

Praticamente todos os estão limitando a venda de máscaras cirúrgicas por cliente, uma medida destinada a impedir que as pessoas comprem grandes quantidades do produto e as revendam com lucro.

Antecipando o forte aumento na demanda, várias lojas já haviam aumentado seu estoque. Uma trabalhadora de uma farmácia perto da estação JR Shimbashi loja disse: “Às vezes não podemos receber nossas remessas”, embora a loja tenha sido inundada com ligações perguntando se ela tem máscaras cirúrgicas suficientes.

A revenda on-line

Um homem da província de Fukuoka antecipou o aumento na demanda e começou a visitar farmácias e lojas de conveniência, pegando todas as máscaras que conseguia encontrar. Ele então as colocou a venda on-line, por uma margem de 300%.

“É a Lei da oferta e demanda”, disse ele, explicando que não há escrúpulos em relação ao aumento de preços porque está ajudando a levar as máscaras para as pessoas que precisam delas. Ele diz que se sente mais sortudo do que culpado.

A5-AT-2020
Foto: NHK

Outras pessoas aumentaram ainda mais o preço pedido. Algumas máscaras são vendidas por dez vezes o custo de varejo.

De acordo com a operadora de aplicativos japonesa Mercari Inc., muitas máscaras cirúrgicas estão sendo oferecidas a preços mais altos que os preços de varejo.

Um usuário apresentou dois conjuntos de sete máscaras cirúrgicas por 99.999 ienes, embora o preço de varejo do produto seja de apenas 405 ienes por embalagem.

A operadora pediu aos usuários que permanecessem dentro de uma faixa de preços adequados, enquanto os órgãos de assuntos do consumidor em todo o país receberam reclamações sobre a determinação de preços do item durante um período de grande preocupação.

Akiko Ito, chefe da Agência de Assuntos ao Consumidor, disse em uma entrevista coletiva que a compra de máscaras cirúrgicas para fins de revenda é inaceitável, enquanto exorta os consumidores a agir com calma.

A agência planeja trabalhar em conjunto com outros órgãos governamentais, como o Ministério da Economia, Comércio e Indústria, para estabilizar os preços das máscaras.

A5-AT-2020
Pessoas que usam máscaras por problemas de saúde estão passando dificuldades
Foto: NHK

A Agência disse ainda que está tentando chamar a atenção para as pessoas que sofrem por causa da corrida às máscaras. Eles dizem que as pessoas com asma e outras doenças estão reclamando que não conseguem encontrar as máscaras de que precisam. A agência instou os varejistas on-line a ajudarem a evitar a manipulação de preços.

O que dizem os fabricantes

A San-M Package Co., considerada a fabricante líder de máscaras cirúrgicas no Japão, incluindo as usadas por médicos, disse que o volume de pedidos recebidos tem sido difícil de cumprir, apesar da empresa operar sua fábrica em capacidade máxima.

Um funcionário da All Nippon Nonwovens Association disse: “Ouvimos dizer que os materiais para fazer máscaras cirúrgicas estão acabando”.

O que o governo está fazendo

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, disse em entrevista que o suprimento de máscaras provavelmente chegará a 100 milhões por semana.

Suga disse que os ministérios da saúde e da indústria pediram aos fornecedores para que aumentassem sua capacidade de produção no final do mês passado.

Ele diz que, como resultado, as empresas aceleraram o ritmo de produção e provavelmente poderão fornecer mais de 100 milhões de máscaras faciais toda semana.

As alternativas

Em meio à escassez de máscaras à venda, a ideia de alternativas caseiras chamou a atenção nas mídias sociais.

Uma japonesa criou um post em seu site mostrando como fazer uma máscara de gaze.

“Ouvi dizer que pessoas com febre do feno ou outras doenças também estão com problemas para comprar máscaras cirúrgicas”, disse ela.

“Quero que as pessoas saibam que existem alternativas para fazer máscaras cirúrgicas. É fácil de fazer, mesmo para iniciantes.”

Outro caso interessante foi de uma brasileira de Mie que postou no Facebook como ela confeccionou suas próprias máscaras.

“Confeccionando as minhas próprias máscaras para proteger dos vírus, máscaras feitas em tnt de polipropileno (aquele tecido que usa muito em floricultura e pra embrulhar presentes).”

“Pesquisando descobri que as máscaras cirúrgicas, os aventais, toucas e lençóis de mesas cirúrgicas usados em hospitais, são feitos em tnt, forrei com body wipe que também é tnt, só que a textura é bem macia. Elas ficaram ótimas e super confortáveis!!!”

“Ps: Não vendo máscaras!!!”

“Só estou postando porque eu achei a ideia legal e porque não há máscaras em lugar nenhum. Sei que tem muitas pessoas que estão preocupadas com o surto desse novo corona vírus, assim como eu, então tive essa ideia fui pesquisar e encontrei essa solução que é melhor do que nada.”

“Que Deus proteja vocês e não corram risco, se puderem façam as suas máscaras.”

A brasileira prefere permanecer anônima.