Japão quer usar combustível derivado da água da Lua para exploração em 2030

Outros países, incluindo Índia e Estados Unidos, pretendem analisar os recursos hídricos da Lua

Japão quer usar combustível derivado da água da Lua para exploração em 2030

A agência espacial do Japão disse que pretende se engajar, em meados da década de 2030, na exploração lunar usando hidrogênio gerado pela água extraída dos depósitos de gelo da Lua como combustível. O uso de combustível derivado da água deve reduzir os custos em comparação com o transporte de combustível da Terra. Embora a água líquida não exista na superfície da Lua, pesquisas anteriores sugerem que pode haver gelo em uma cratera perto do pólo sul lunar, que nunca foi exposta à luz solar.

O Japão planeja trabalhar com os Estados Unidos na construção da estação espacial de órbita lunar Gateway ainda na década de 2020 e construir, por volta de 2035, uma fábrica de combustível no pólo sul lunar. O combustível será usado em uma espaçonave reutilizável capaz de transportar quatro astronautas de e para a Gateway, em um veículo de transporte que pode viajar até 1000 quilômetros na Lua, de acordo com a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA).

O combustível derivado da água é criado pela primeira divisão da água em seus componentes de oxigênio e hidrogênio, usando uma célula solar. A energia é criada pela recombinação deles. O veículo de transporte, que permitirá aos astronautas explorar a superfície lunar, deve transportar de duas a quatro pessoas. Como a Lua tem gravidade fraca, ela se moverá saltando pela superfície em vez de com rodas.

De acordo com as estimativas da JAXA, são necessárias 37 toneladas de água para uma viagem de e para o Portal, enquanto 21 toneladas são necessárias para cada viagem de exploração de superfície. A agência acredita que seria mais barato usar combustível criado com a água da Lua do que trazer água da Terra se cinco a sete viagens de exploração tripuladas fossem feitas. A China, que já pousou uma espaçonave não tripulada na superfície lunar, planeja enviar uma sonda ainda este ano à Lua para coletar amostras de solo.