Castelo de Shuri é reaberto em Okinawa

A área de admissão paga estava inicialmente programada para ser aberta ao público a partir do final de abril, mas o tempo foi adiado para conter a propagação do novo coronavírus

Castelo de Shuri é reaberto em Okinawa

Partes do castelo Shuri, na província de Okinawa, foram reabertas ao público pela primeira vez desde que um grande incêndio em outubro passado. Desde sexta-feira, dia 12, os visitantes puderam voltar acessar a área de entrada paga do castelo através do portão Hoshinmon, que se traduz aproximadamente como “portão para respeitar os deuses”, e entrar no salão principal de Seiden, que estava entre as estruturas que foram queimadas.

Também está sendo reaberta uma seção em Seiden, onde os visitantes podem ver as ruínas subterrâneas da estrutura original do castelo, um Patrimônio Mundial da UNESCO, através de uma tampa de vidro. Os visitantes poderão ver trabalhos de restauração em andamento em outras partes do complexo do castelo, a partir do mirante Agari-no Azana, localizado atrás do Seiden.

“Quero que pessoas de todo o país, vejam o castelo e esperem obter sua cooperação para os esforços de reconstrução”, disse um funcionário do Gabinete Geral de Gabinete de Okinawa. O Castelo de Shuri foi o centro de política, relações exteriores e cultura no Reino de Ryukyu de 1429 até a prefeitura da ilha do sul foi anexada pelo Japão em 1879.

Ele foi incendiado várias vezes, inclusive durante a Segunda Guerra Mundial, e as ruínas do castelo, excluindo os edifícios restaurados, foram registradas como Patrimônio da Humanidade em 2000. Os principais prédios do castelo, restaurados em 1992, foram destruídos em um incêndio em 31 de outubro, que é suspeito de ter sido causado por uma falha elétrica.