Exportações e importações do Japão registram a maior queda da década em maio

“Espera-se que a margem de queda ano a ano diminua gradualmente, mas permaneça com dois dígitos por enquanto”, afirmou Yutaro Suzuki, economista do Instituto de Pesquisa Daiwa

Exportações e importações do Japão registram a maior queda da década em maio

As exportações e importações japonesas do mês de maio registraram as maiores quedas ano-a-ano em mais de 10 anos, refletindo a demanda doméstica e externa rapidamente enfraquecida, com a pandemia do novo coronavírus continuando a desacelerar as atividades econômicas globalmente, mostraram dados do governo.

As exportações caíram 28,3% em relação ao ano anterior, para 4,18 trilhões de ienes (39 bilhões de dólares), a queda mais acentuada desde o declínio de 30,6% em setembro de 2009, após a crise financeira global, de acordo com um relatório preliminar do Ministério das Finanças. As exportações caíram pelo 18º mês consecutivo.

Por item, as exportações de automóveis caíram 64,1%, a maior queda desde abril de 2011, quando atingiram 67,1%, após um forte terremoto e tsunami no mês anterior no nordeste do Japão, forçando uma parada na produção. O número mais recente seguiu uma queda de 52,6% em abril. As exportações de autopeças caíram 57,6%.

As importações totais caíram 26,2 %, para 5,02 trilhões de ienes, também registrando a maior queda desde outubro de 2009, quando caíram 35,5%, com a compra de recursos energéticos como petróleo e aeronaves encolhendo, informou o ministério. O valor caiu pelo 13º mês consecutivo.