Parte da série Coronavírus, em 348 posts

Vozes por trás das máscaras – 2021

O documentário “Vozes por trás das máscaras” reúne relatos de pessoas que viveram no Japão durante o primeiro ano da pandemia

Vozes por trás das máscaras – 2021

A pandemia de coronavírus afetou todo o mundo no ano de 2020 e infelizmente, muitas vozes foram caladas pelo vírus.

Como uma forma de poder trazer uma parte desses relatos, decidi criar um documentário, já que, cada um teve uma experiência, carregada de particularidades. 

As vozes no Japão

Talvez, no momento que você esteja lendo esse artigo, a pandemia tenha acabado e você seja sortudo o suficiente para viver em um mundo que superou essa crise. 

Caso você não saiba, essa é a terceira grande crise que os brasileiros passam no Japão, já que a crise mundial de 2008 e o terremoto/tsunami/acidente nuclear de 2011 afetaram fortemente a comunidade. 

O eco dessas vozes vai continuar por muito tempo, tanto que você veio até aqui para saber mais o que realmente aconteceu aqui no Japão neste período.

O mais cruel é que, diferentemente das demais crises, não havia escapatória, uma vez que não bastava voltar ao Brasil, que por quase três meses, não detectou nenhum caso do vírus em seu território.

De quem são essas vozes

Antes de mais nada, você precisa saber quem são as pessoas que emprestaram suas vozes para este documentário. 

vozes

Os relatos contidos nele, foram colhidos em dezembro de 2020, período onde as vacinas começaram a ficar prontas e ainda não haviam sido distribuídas, e também onde havia começado a circular rumores das primeiras mutações do vírus, chamadas depois de variantes.

A sequência das entrevistas foi essa: Jaqueline Kuriu, Yumi Saito, Paulo Takara, Tina Nakata, Luis Islas, Ricardo Pozzuto, Mario Makuda, César Kusunoki. 

Após concluir o ciclo de entrevistas, foi consultado o especialista, Victor Pimentel, que cedeu a visão técnica em relação a parte da biologia por trás da pandemia.

Tanto a Jaqueline quanto a Yumi participaram do piloto, que foi lançado ainda em 2020 e ajudou a mostrar a ideia por trás do documentário aos outros participantes.

Uma curiosidade é que mais uma pessoa deveria estar no piloto. Um dos fundadores do site, Raphael Suzuki, foi o primeiro a conceder a entrevista, que foi tido como “o teste dos testes”. 

Sendo assim, 4 integrantes do site Todo Dia emprestaram suas vozes para compor o documentário, incluindo o Paulo.

Quanto suas profissões:

  • Jaqueline era estudante de japonês durante a pandemia; 
  • Yumi é professora e personal trainner;
  • Paulo é professor de inglês;
  • Tina é enfermeira;
  • Luis é operário e residente;
  • Ricardo é mais conhecido como o influenciador digital “Caipira no Japão”;
  • Mario é empresário e difusor da cultura brasileira no Japão;
  • César é tradutor.

Todos levavam suas vidas, até a pandemia sacudir as bases mundiais e aumentar as incertezas dos destinos da humanidade. 

Porque um documentário sobre a pandemia no Japão

Se você é fã do gênero, entendo o porquê. Se é um primeiro contato, pode achar um besteira perder tempo assistindo relatos de coisas que você viveu ou não.

vozes

O ponto por trás da necessidade de documentário é que eles podem não funcionar imediatamente, mas são cápsulas do tempo e guardam momentos, reflexões e pontos de vistas que podem mudar.

Para quem viveu antes de existir um medicamento eficaz e direcionado especialmente ao vírus, vai entender, já que foi necessário mudar muitas coisas em um período muito curto de tempo.

Diferentemente de outras pandemias, como a da AIDS, todos estavam expostos, já que a contaminação ocorre sem a necessidade de situações especiais, durante as tarefas diárias. 

A produção do documentário

A ideia de produzir um documentário para ouvir essas vozes que ninguém ouviria sem ele, nasceu em algum momento de outubro de 2020. 

Primeiro, pensei em fazer entrevistas para publicar como artigos, já que isso já havia sido feito antes no site com a Nanda, mas não me pareceu suficiente.

vozes

O próximo desafio era encontrar quem seriam as pessoas que emprestariam suas vozes para o documentário e depois, como gravar todas elas e respeitar as regras de distanciamento social, necessárias na época.

A solução aqui foi usar o que estava fazendo sucesso na época: vídeo chamadas. 

As video chamadas existem há um bom tempo, mas 2020 foi um ano em que elas se consolidaram como uma forma para vencer as barreiras do distanciamento social. 

É claro que o resultado final não atingiu uma resolução incrível, mas essa era uma das limitações da época e ajudou a dar a característica chave deste período, que foi trabalhar à distância. 

Outras dificuldades técnicas foram enfrentadas devido a este ter sido o meu primeiro trabalho no gênero, mas o resultado foi atingido em 100%: trazer essas vozes abafadas pelas máscaras para serem ouvidas!

Este é o primeiro projeto do tipo desenvolvido e executado pelo Todo Dia. Se você tem ideias ou tem interesse em patrocinar novos documentários, por favor, entre em contato. 

Deixe uma resposta

Leia mais posts relacionados