Fraude de subsídio por coronavírus em alta

As autoridades japonesas estão intensificando os esforços para lidar com um número crescente de casos de fraude envolvendo subsídios relacionados ao coronavírus

Fraude de subsídio por coronavírus em alta

O governo do Japão está fornecendo subsídios de até 2 milhões de ienes para pequenas e médias empresas e até 1 milhão de ienes para freelancers e outros trabalhadores autônomos cujos rendimentos caíram drasticamente devido ao surto de coronavírus. A elegibilidade para os subsídios exige que a receita de qualquer mês deste ano seja a metade ou menos que a do ano anterior.

A Agência de Pequenas e Médias Empresas diz que pessoas, incluindo muitos estudantes e funcionários de empresas, receberam ilegalmente esses subsídios e que essas pessoas foram levadas por outras nas redes sociais a se candidatarem aos fundos, alegando falsamente que fazem negócios por conta própria e foram orientados a pagar parte dos subsídios recebidos como taxa de serviço.

Em junho, a Agência designou funcionários para investigar casos de fraude. As empresas privadas encarregadas de realizar o programa de subsídios estão intensificando a triagem, acumulando dados sobre os métodos usados ​​nesses casos. A Agência também está postando nas redes sociais mensagens de alerta dizendo que solicitar inscrições fraudulentas é crime. Aqueles que receberam subsídios ilegalmente serão solicitados a devolvê-los com as taxas vencidas calculadas em 3% ao ano, bem como 20% do valor total. Também afirma que tornará públicos os nomes dos destinatários e que eles podem enfrentar processos criminais.

Um funcionário da agência disse que, em muitos casos, as pessoas aceitam convites para fazer inscrições fraudulentas sem pensar muito, mas que serão severamente punidas quando seu delito for descoberto. O funcionário disse que os procedimentos foram simplificados para fornecer os subsídios rapidamente, mas que a fraude nunca deve ser permitida e que a agência fará uma investigação completa em cooperação com a polícia.