Com menos pessoas, os ratos aparecem nas ruas de Shibuya

Se em alguns países a vida animal toma novamente gramados, rios e ruas, em Tóquio, a diminuição de pessoas significou a diminuição de alimentos disponíveis, obrigando os ratos a saírem.

Com menos pessoas, os ratos aparecem nas ruas de Shibuya

Até as últimas duas semanas, o governo japonês tem lidado com o surto de coronavírus com uma mão relativamente leve. O governo não pode obrigar uma quarenta devido às liberdades civis preservadas na Constituição japonesa, mas com a declaração do Estado de Emergência pelo Primeiro-Ministro Shinzo Abe, somada as medidas restritivas impostas pela governadora de Tóquio, Yuriko Koike, cada vez mais as empresas fechem e para que todos fiquem em casa.

Famosa por ter o cruzamento mais movimentado do mundo, Shibuya geralmente está lotada de multidões de pessoas dia e noite, mas agora que há menos atividade humana na área, outro tipo de atividade foi detectado emergindo das fendas e fendas das ruas.

O tópico foi coberto até pelo programa Morning Show da TV Asahi, onde seu repórter comentou sobre o grande número de ratos vistos em Shibuya e Shinjuku recentemente. Os avistamentos não necessariamente significam que o número de ratos está aumentando, pois é mais provável que eles simplesmente estejam procurando comida; a queda nos negócios de restaurantes significa que também diminuíram suas oportunidades habituais de forrageamento de alimentos.

Não é a única vez que os moradores peludos da área ficam descontrolados nas ruas de Shibuya, pois vários deles saíram para brincar quando as ruas foram desertas após o tufão Hagibis em outubro do ano passado e também é verdade que ratos foram vistos correndo pelas prateleiras e geladeiras no Family Mart em Shibuya, forçando-os a fechar temporariamente, depois que vídeos dos roedores se tornaram virais nas mídias sociais.

O mesmo já havia ocorrido após a passagem do tufão Hagibis em 2019:

Veja também

Assine nossa newsletter