Yokohama: odor misterioso continua e novas hipóteses são debatidas

Desde junho, repetidas reclamações sobre um odor estranho de origem desconhecida na cidade de Yokohama e em outras áreas da Península de Miura, na província de Kanagawa, ao sul de Tóquio

Yokohama: odor misterioso continua e novas hipóteses são debatidas

Muitos residentes de Yokohama descreveram como “semelhante a borracha queimada” ou “semelhante a gás”, mas a fonte do odor permanece um mistério. Uma série de causas possíveis estão sendo postuladas, e a análise de componentes pelo Governo da Província de Kanagawa reforçou a hipótese de que a fonte não é de origem natural. Uma análise do Instituto de Pesquisa Ambiental de Yokohama encontrou altas concentrações de isopentano, pentano e butano, que são liberados quando a gasolina e outros combustíveis evaporam, entre outras substâncias. O governo da cidade disse que eles não representam uma ameaça imediata à saúde.

Makoto Wada, professor emérito da Universidade de Tokushima e especialista em química orgânica, citou a descoberta dos governos da cidade e da província de grandes quantidades de substâncias da gasolina em sua análise para sugerir que gases de escapamento de automóveis, ventilação de tanque de gás marinho ou vazamentos de gás de plantas petroquímicas e tanques de óleo podem ser os culpados.

Já para Kohei Urano, professor emérito em gestão de segurança ambiental na Universidade Nacional de Yokohama, disse ao Mainichi Shimbun que ele acha que as descrições de gases e odores de borracha queimada nos relatórios dos residentes sugerem que compostos de enxofre vazando de refinarias de petróleo podem ser os culpados. Ele especulou: “Podem ser os compostos de enxofre emitidos quando os produtos de borracha são queimados. Eles também são usados ​​como odorantes para gases”.

O professor da Universidade Tokai, Yoshihiko Yamada, especialista em política oceânica, diz que uma maré azul pode estar por trás do cheiro. A maré azul é um fenômeno no qual o plâncton morto que se acumula no fundo do oceano se quebra e os níveis de oxigênio reduzem, fazendo com que a água contendo sulfeto suba à superfície, o que por sua vez torna o oceano um azul pálido. Diz-se que o sulfeto de hidrogênio produzido nas marés azuis cheira a ovos podres ou gasolina. Yamada disse também: “este verão trouxe temperaturas extremamente quentes, a temperatura da água do mar está alta, tornando mais fácil para o plâncton se reunir no fundo. Tornando-se um ambiente adequado para a maré azul”.