Suicídios: estudante faz aconselhamento online para jovens

Um estudo recente descobriu que o Japão está entre os mais altos do mundo no que diz respeito ao isolamento. A iniciativa online é rara e preciosa aos que necessitam

Suicídios: estudante faz aconselhamento online para jovens

Os suicídios estão aumentando entre os adolescentes japoneses e isso preocupa Koki Ozora, de 21 anos, que cresceu deprimido e solitário. Sua organização online sem fins lucrativos, Anata no Ibasho ou Um lugar para você é administrada inteiramente por voluntários e oferece um serviço de mensagens de texto 24 horas para quem busca um ouvido solidário, prometendo atender a todas as solicitações, inclusive as urgentes, em cinco segundos.

O serviço de bate-papo online em japonês cresceu desde março e hoje conta com 500 voluntários, muitos deles morando no exterior, em diferentes fusos horários, para fornecer aconselhamento durante as horas em que a necessidade de prevenção do suicídio é maior, entre 22h e o amanhecer. O que faz a ideia de Ozora funcionar durante a pandemia é que tudo é virtual, incluindo treinamento para voluntários. Serviços voluntários online são raros no Japão.

“Isso realmente me dá esperança”, disse Ozora sobre a enxurrada de voluntários. “Eles me disseram que precisavam fazer alguma coisa”. Aluno da Keio University, Ozora projetou a configuração do site, que permite que uma equipe mais experiente supervisione o aconselhamento. O anonimato é protegido. Anata no Ibasho recebeu mais de 15 mil mensagens pedindo ajuda, ou cerca de 130 por dia. Os mais comuns são sobre suicídio, cerca de 32%, enquanto 12% lidam com o estresse de criar filhos. O objetivo é oferecer uma solução em 40 minutos, incluindo encaminhamentos para abrigos e policiais.

As mensagens falam de dor profunda. Eles confessam medo de matar seus próprios filhos. Outro fala sobre auto ódio após ser abusado sexualmente por um dos pais. Ao contrário do estereótipo do Japão como harmonioso, as famílias estão cada vez mais fragmentadas. O Japão tem cerca de 50 suicídios por dia, uma mulher é assassinada a cada três dias por seu parceiro ou ex-parceiro e 160 mil casos de abuso infantil são relatados por ano, de acordo com dados do governo e da ONU.

Se você ou alguém que você conhece precisa de aconselhamento, o site Consulado Geral do Brasil em Nagoya faz parcerias com psicólogos para auxiliar membros da comunidade.