Yamato Transport lançará serviço retirada de compras em drogarias e supermercados

Devido ao surto de coronavírus e aos pedidos para se evitar sair, os consumidores estão fazendo mais compras on-line do que nunca, aumentando a demanda por entrega de encomendas em casa

Yamato Transport lançará serviço retirada de compras em drogarias e supermercados
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

A Yamato Transport Co. lançará em novembro um serviço que permitirá aos consumidores receber em drogarias, supermercados e outras lojas os produtos encomendados on-line. O objetivo é reduzir o número de visitas de entrega para destinatários que não estão em casa. A empresa também planeja distribuir cupons que podem ser usados ​​nos pontos de venda onde o consumidor recebe os produtos encomendados, com o objetivo de incentivá-los a retirar seus produtos.

Ao fazer o pedido, os clientes podem escolher uma loja que participa do novo serviço e, em seguida, receber seus produtos mostrando um código QR por e-mail na loja durante o horário de funcionamento. A empresa lançará o serviço no site de compras on-line Zozotown para roupas e outros shoppings on-line, e gradualmente expandirá seus parceiros varejistas online.

A Yamato começará a aceitar inscrições para estabelecimentos cooperantes já neste mês e planeja ter 10 mil desses estabelecimentos em um futuro próximo. Além de reduzir o número de reenvios, a Yamato pode reduzir sua mão de obra e despesas de transporte entregando embalagens a granel nas lojas, em vez de entregá-las em cada residência.

A Yamato, por sua vez, pagará comissões às lojas, que podem ter vendas adicionais durante as visitas de retirada, inclusive de consumidores que aproveitam os cupons da loja que recebem. Embora as lojas de conveniência já sejam amplamente utilizadas para entregas de terceiros, o novo serviço da Yamato oferecerá uma variedade ainda maior de pontos de coleta. A Yamato Transport movimentou cerca de 680 milhões de encomendas entre abril e julho, um aumento de 14,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Leia em The Japan News (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também