Tóquio planeja dar 100.000 ienes a residentes infectados com coronavírus

A ideia foi recebida com muitas críticas, uma vez que há pessoas que pensam que a iniciativa é desnecessária

Tóquio planeja dar 100.000 ienes a residentes infectados com coronavírus

Tóquio tem visto um ressurgimento de infecções por coronavírus desde o início do mês, com vários dias seguidos de mais de 100 novos casos e a cifra diária mais recente, anunciada no dia 9 de julho, atingindo 224, a mais alta já registrada na capital. Com esse pano de fundo, a região de Shinjuku em Tóquio, anunciou um novo programa de resposta ao coronavírus.

Sob o programa, qualquer morador de Shinjuku que esteja infectado com o coronavírus receberá 100.000 ienes em “dinheiro de condolências”. Os destinatários devem ter se registrado como residentes de Shinjuku até 7 de abril, um dia antes de o Estado de Emergência ter sido declarado em Tóquio devido à pandemia.

Porém, alguns acham que essa generosidade é equivocada. Atualmente, existem 898 casos confirmados de infecções por coronavírus entre os residentes de Shinjuku, mais do que em qualquer outra dos 30 municípios que compõem a área Metropolitana de Tóquio. Muitos sentem que a razão disso são bares de hostess, clubes e outros estabelecimentos noturnos que cobrem vários quarteirões da cidade, vários pontos perto da estação Shinjuku.

Como o sistema jurídico japonês não permite fechamento forçado durante a pandemia, algumas pessoas pensam que uma parte dos infectados de Shinjuku contraiu a doença por sua própria culpa e não sentem que devam ser “recompensados” ​​por isso, especialmente quando já existem subsídios do governo federal que fornecem financiamento e ajuda aos trabalhadores cujos ganhos foram afetados durante a crise econômica.