Um mês após o lançamento, apenas três pessoas infectadas com COVID-19 se registraram no aplicativo do Ministério da Saúde

Parece que o governo sabia que o aplicativo não iria dar certo e simplesmente, desistiu de fazer qualquer tipo de campanha de conscientização sobre o uso

Um mês após o lançamento, apenas três pessoas infectadas com COVID-19 se registraram no aplicativo do Ministério da Saúde

No dia 19 de junho, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar lançou um aplicativo de rastreamento de contatos chamado 新型コロナウイルス接触確認Aplicativo de Confirmação de Contato COVID-19 ou COCOA, abreviado do inglês.

Com um funcionamento simples, qualquer telefone que esteja dentro de uma distância de um metro por mais de 15 minutos, recebe um ID anônimo, que é registrado nos dados do aplicativo do usuário do serviço. Então, se alguma pessoa registrada em seus dados, nos últimos 14 dias, relatar para o aplicativo estar infectado por COVID-19, você receberá um aviso (que não vai informar o nome de quem está infectado) pedindo para você procurar um médico. Isso permitiria criar uma triagem automática dos contatos de quem testou positivo.

O Primeiro-ministro Shinzo Abe disse que para que o aplicativo fosse eficaz, cerca de 60% da população precisaria usá-lo. No dia 8 de julho, cerca de 6,1 milhões de pessoas já haviam baixado o aplicativo. Embora esse seja certamente um grande número, é apenas cerca 5% da população do país.

Mesmo que cerca de 1100 novos casos tenham sido registrados após o lançamento do aplicativo, apenas três pessoas infectadas informaram no aplicativo, representando apenas 0,03%.