Protestos nos EUA levam pessoas a protestarem contra perfis raciais da polícia no Japão

O protesto em Shibuya ocorre oito dias após um estrangeiro curdo ser detido pela polícia na estrada em Tóquio

Protestos nos EUA levam pessoas a protestarem contra perfis raciais da polícia no Japão

Enquanto pessoas nos EUA protestam contra a morte de George Floyd no dia 25 de maio por um policial em Minneapolis, no Japão as tensões também aumentam, após um incidente que muitos estão condenando como de perfil racial pela polícia. O incidente, ocorrido no dia 22 de maio em Tóquio, foi capturado em vídeo e desde então, foi amplamente compartilhado online. O clipe curto mostra dois policiais segurando um homem na frente de um veículo da polícia na rua movimentada, enquanto outro fica ao lado do veículo parado, com um passageiro ainda dentro.

No vídeo, o homem, que mais tarde se revelou curdo, pode ser ouvido dizendo repetidamente em japonês: “Eu não fiz nada” e “corra, corra!” antes de pedir à pessoa que o filma para ajudá-lo. Os policiais dizem repetidamente para ele “parar”, mantendo um firme controle sobre ele.

O jornalista freelancer Hideki Kashida disse que o homem curdo foi libertado pela polícia logo após o vídeo ser filmado e que o homem foi contido depois de cumprimentar a polícia com a expressão gokurosama desu, que significa “obrigado pelo seu trabalho”, embora seja uma frase geralmente usada apenas ao falar com um subordinado. O tweet de Kashida abaixo diz: “Na verdade, dezenas de minutos depois, ele foi libertado e realmente não fez nada. Ele apenas disse gokurosama desu a um oficial com quem ele fez contato visual” e ainda convidava as pessoas a participar do protesto.

Esse direcionamento de indivíduos com base em sua aparência há muito tempo é um aspecto da vida no Japão, que constantemente desperta preocupação e raiva entre a comunidade estrangeira. O protesto deste fim de semana, estimulado por eventos nos EUA, mostra que mais pessoas, incluindo japoneses, estão perdendo a paciência com o perfil racial e agora estão preparadas para se posicionar mais contra o tratamento inadequado dos estrangeiros pela polícia.

Leia em Sora News 24 (Inglês)

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *