Primeiro-ministro japonês explica sobre a decisão de declarar o Estado de Emergência

Durante a declaração oficial do Estado de Emergência para 7 províncias, o Premier japonês falou sobre como a população deve agir para ajudar a conter o avanço do vírus

Primeiro-ministro japonês explica sobre a decisão de declarar o Estado de Emergência

O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe pediu à população que fique em casa e que reduza o contato com outras pessoas de 70 a 80% no próximo mês, na tentativa de conter a disseminação do coronavírus. Abe fez o apelo em uma entrevista coletiva na terça-feira, logo após de declarar Estado de Emergência por um mês para sete províncias, incluindo Tóquio e Osaka.

O primeiro-ministro disse que as infecções estão se espalhando rapidamente nas grandes cidades, que os leitos dos hospitais estão quase cheios e os médicos estão sob estresse mental e físico. Disse também que se as infecções aumentarem em todo o país na mesma proporção, isso teria um impacto devastador na vida das pessoas e por consequência na economia.

Abe pediu ainda que às empresas reduzissem em 70% o número de funcionários nos escritórios, implementando horários flexíveis de trabalho e outras medidas. Também disse que, especialmente os jovens, que suponham que estão infectadas, ajam de acordo. O primeiro-ministro ressaltou que a declaração de Estado de Emergência no Japão não é igual aos bloqueios impostos em outros países.

Ele disse que especialistas acreditam que o risco de se infectar em Tóquio ou Osaka não é tão alto, desde que as pessoas evitem passeios não essenciais. Abe insistiu para que as pessoas das áreas dentro no Estado, não viajarem para outras regiões ou para áreas rurais, onde há muitos idosos que podem ficar gravemente doentes se infectados e ressaltou que os alimentos e outros produtos necessários para o dia a dia continuarão sendo fabricados, transportados e disponíveis nas lojas.

N23 - 08-04-2020
Imagem: NHK

Veja também

Assine nossa newsletter