Pesquisadores japoneses afirmam que o ozônio é eficaz na neutralização do coronavírus

Um estudo recente do Instituto de Tecnologia da Geórgia mostrou que o ozônio pode ser eficaz na desinfecção de batas, óculos e outros equipamentos médicos de proteção

Pesquisadores japoneses afirmam que o ozônio é eficaz na neutralização do coronavírus
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

Pesquisadores japoneses disseram que baixas concentrações de ozônio podem neutralizar as partículas do coronavírus, potencialmente fornecendo uma maneira para hospitais desinfetar salas de exame e áreas de espera. Cientistas da Fujita Health University disseram em entrevista coletiva que provaram que o gás ozônio em concentrações de 0,05 a 0,1 partes por milhão (ppm), níveis considerados inofensivos para os humanos, pode matar o vírus.

O experimento usou um gerador de ozônio em uma câmara selada com uma amostra de coronavírus. A potência do vírus diminuiu em mais de 90% quando submetido a níveis baixos de ozônio por 10 horas. “A transmissão do novo coronavírus pode ser reduzida pelo tratamento contínuo de ozônio de baixa concentração, mesmo em ambientes onde as pessoas estão presentes, usando este tipo de sistema”, disse o pesquisador principal Takayuki Murata.

“Descobrimos que é particularmente eficaz em condições de alta umidade.” O ozônio, um tipo de molécula de oxigênio, é conhecido por inativar muitos patógenos, e experimentos anteriores mostraram que altas concentrações, entre 1-6 ppm, eram eficazes contra o coronavírus, mas potencialmente tóxicas para humanos.

O Fujita Medical University Hospital, na província de Aichi, instalou geradores de ozônio para reduzir a infecção em áreas de espera e quartos de pacientes. A universidade também realizou um teste clínico do medicamento Avigan da Fujifilm Holdings Corp em pacientes com COVID-19.

Leia em Reuters (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também