Estrangeiros tiveram reentrada negada, mesmo com teste negativo para coronavírus

Embora os residentes estrangeiros tenham sido gradualmente autorizados a reentrar no Japão a partir de agosto, há casos em que pessoas são forçadas a retornar aos seus países de origem, mesmo que tenham testado negativo para o coronavírus

Estrangeiros tiveram reentrada negada, mesmo com teste negativo para coronavírus
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

O problema surge porque o governo japonês exige o envio de resultados de testes que coletam amostras da nasofaringe, que é a parte superior da garganta atrás do nariz, ou da saliva, e não aceita resultados de testes usando amostras retiradas da faringe, ou parte da garganta, que são comuns em algumas regiões da China. Uma chinesa de 25 anos que voltou ao seu país comentou: “Eu queria uma explicação clara sobre as diferenças de antemão.”

Essa mulher partiu de Dalian, na província de Liaoning, no nordeste da China, no dia 11 de agosto, e voou para o Aeroporto Internacional de Narita, na província de Chiba, no mesmo dia. Ela fez um teste de reação em cadeia da polimerase (PCR) que coletou amostras de saliva no aeroporto e recebeu os resultados do teste uma hora depois, indicando que ela havia testado negativo para o vírus. Embora ela tenha enviado esses resultados ao escritório de imigração com os do teste feito na China antes de sua partida, ela foi chamada ao escritório administrativo cerca de duas horas e meia depois, e recebeu um pedaço de papel que dizia: “Você será enviada de volta ao país de partida”. A mulher foi forçada a voar de volta para a China em 13 de agosto, depois de passar duas noites no aeroporto.

O Ministério das Relações Exteriores do Japão explica em seu site que o método de testes necessário para a reentrada “se limita apenas ao método de teste e às amostras mencionadas no formato”. O formato que está anexado em um link em seu site inclui uma seção para colocar uma marca de seleção para “cotonete nasofaríngeo” ou “saliva” para possíveis amostras.

O governo japonês aparentemente considerou as amostras de garganta como não aplicáveis, a fim de manter a consistência com os métodos de amostra de cotonetes de nariz e saliva que são conduzidos no Japão. Uma fonte do governo disse que não havia problema com o método de coleta de amostras da garganta em si.

Leia em The Mainichi (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também