Pedido de marca comercial “AINU” é criticado pelos povos indígenas do Japão

No ano passado, o Japão promulgou uma legislação que visa proteger e promover a cultura Ainu através da prestação de assistência financeira, estipulando pela primeira vez que eles são um povo indígena

Pedido de marca comercial “AINU” é criticado pelos povos indígenas do Japão
Desbravando o Japão

Um pedido vindo da China, para registrar uma marca comercial usando o nome do povo indígena Ainu do Japão, foi criticado por ser uma tentativa de lucrar com sua cultura. Os documentos divulgados pelo Escritório de Patentes do Japão, mostraram um pedido de marca registrada AINU para produtos como estojos para smartphones ou mouses de computador. O pedido foi feito em março por um indivíduo em Shenzhen, sudeste da China.

Não está claro se o requerente estava ciente do significado da palavra Ainu ao registrar a marca e o agente da pessoa no Japão que processou a papelada apenas confirmou à Kyodo News que a solicitação foi feita através de um escritório de patentes na China. “Não sei se (o candidato) considerou um grupo étnico específico”, disse o agente, acrescentando: “Acho que o escritório de patentes o rejeitará se for considerado ofensivo”.

O pedido surge quando o governo japonês planeja abrir o Museu e Parque Nacional Ainu em Hokkaido este ano, para promover uma compreensão mais ampla da minoria étnica que é indígena da principal ilha do norte do país. “Acreditamos que é uma tentativa de lucrar com a nossa comunidade. Queremos que o governo se oponha”, disse Hiroshi Hirono, que dirige uma associação que aconselha aqueles que desejam desenvolver produtos usando o design tradicional da Ainu.

Leia em The Mainichi (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também