Outono em Tóquio: dicas com as melhores paisagens

Outono em Tóquio: dicas com as melhores paisagens

Algumas sugestões pra você aproveitar os melhores locais em Tòquio durante o Outono, uma das estações mais lindas do Japão.

À medida que a temperatura começa a cair e as árvores mudam de cor, todo o Japão se transforma em uma deslumbrante obra de arte em amarelo, laranja e vermelho. Tóquio ganha vida com novos matizes, combinando perfeitamente os arranha-céus com as folhas coloridas de outono.

Outono é a minha estação preferida. Tanto é que a escolhi para celebrar meu casamento. E os japoneses também adoram o outono. Existe até mesmo uma palavra para designar a mudança das cores das folhas de outono: “koyo”.

O koyo é particularmente admirado e muito fotografado na Maple Tree, a árvore que aparece na bandeira do Canadá, e que se chama Momiji no Japão, e Ácer no Brasil.

Durante o outono ocorrem Festivais em templos e santuários, quando são servidas comidas especiais da época. Nos finais de semana, as pessoas saem para ver a beleza do koyo ao ar livre, nos parques públicos, jardins, montanhas próximas ou simplesmente caminham pelas ruas para, entre um arranha-céu e outro, admirar uma rajada de cor.

A melhor época para ver as folhas de outono na capital do Japão é de final de novembro a início de dezembro, quando as cidades e os parques são pintados de vermelho e dourado.

No Meiji Jingu Gaien, uma área muito usada como local de filmagem de novelas, as árvores douradas de gingko se alinham aos dois lados da estrada, formando um túnel de 300 metros que fica ainda mais cintilante quando iluminado pelo sol.

Quando chega o Festival Jingu Gaien Gingko, é possível desfrutar de produtos regionais e assistir apresentações de rua. Este ano o Festival vai até dia 1 de dezembro. Como está sempre cheio de gente, é melhor aproveitar a tranquilidade das primeiras horas da manhã.

O Parque Yoyogi é um local clássico para ver a folhagem de outono na cidade. As famílias e amigos se reúnem para fazer um piquenique sob as árvores douradas e avermelhadas antes que o inverno chegue e as temperaturas baixem muito.

O parque tem ótimos acessos de transporte público e está sempre cheio de pessoas andando de bicicleta ou tocando seus instrumentos musicais nos fins de semana.  Muitos eventos e feiras de antiguidades também são realizados no local.

Já o Parque Inokashira é o lar de muitas instalações diferentes, incluindo o lago Inokashira, localizado no centro do parque, um zoológico e o Museu Ghibli. No outono, centenas de árvores tingidas pelas cores do outono criam uma cena maravilhosa e imperdível.
Há passeios de barco no lago Inokashira, uma ótima alternativa para contemplar as árvores a partir de outro ângulo.

O Parque Showa Kinen, localizado a 30 minutos do centro de Tóquio, é o maior do Japão tem uma área total de 180 hectares decorados pelas folhas do Momiji e do Gingko. A melhor maneira de percorre-lo é de bicicleta pela extensa rede de ciclovias. Os pontos de locação ficam nas entradas, e as bicicletas podem ser alugadas por 3 horas ou pelo dia inteiro. Há também um trem que conecta as diferentes áreas do parque.

Dentro do Parque também tem casas de chá, onde você pode fazer uma pausa para saborear doces e o matcha. Você também pode visitar o Museu do Bonsai e o Emperor Show Memorial Museum. Há uma pequena taxa de admissão no parque e para cada atividade extra.

Além de todas estas ótimas opções, Tóquio também tem alguns jardins famosos, bem no centro, para apreciar koyo:

O Rikugien é um jardim decorado com a folhagem de centenas de árvores momiji e gingko. A iluminação noturna proporciona uma experiência única de luzes e cores em meio à paz proporcionada por um autêntico jardim japonês. Além de poder desfrutar da beleza do koyo até mais tarde.

Os Jardins Hama-rikyu, localizado no meio dos prédios da cidade, tem uma característica surpreendente: a água no lago é água do mar, e muda de nível dependendo da maré. Uma casa de chá japonesa também está localizada numa ilhota acessível por duas pontes. Aqui você pode beber matcha e comer doces japoneses.  

Um dos mais antigos jardins de Tóquio, o Koishikawa Korakuen recria paisagens famosas em miniatura, usando lagos, pedras, árvores e colinas artificiais para reproduzir o cenário japonês e chinês. A principal atração é a reprodução do grande lago Biwa (localizado na província de Shiga). O reflexo da folhagem vermelha e amarela na água no entorno dos 3 lagos do jardim é simplesmente lindo. 

Já o Shinjuku Gyoen apresenta uma ampla área com vários estilos de jardins, incluindo jardins em estilo francês e inglês.  Como resultado, até a mesma folhagem de outono aparecerá de maneira diferente em cada um. No jardim francês, o outono também é a melhor época para ver as rosas em flor. O jardim fecha às 16:30 (entrada final às 16:00) e tem uma taxa de admissão de 500 ienes.

Que tal apreciar o koyo das montanhas?

O Monte Takao é muito acessível, ficando a apenas cerca de uma hora de trem a partir de Shinjuku. Você pode escolher entre dez trilhas diferentes, com base no tempo de caminhada e no nível de dificuldade. É possível observar o koyo a partir do cume da montanha, bem como ao longo da linha do teleférico.

O Festival de Folhas de Outono do Monte Takao movimenta a montanha nos finais de semana, desfrutar de saquê servido em caixas de madeira tradicionais, apreciar shows, batidas de taiko e dança de yosakoi, realizados na praça ao lado da estação Kiyotaki, perto do teleférico que leva até a montanha.  Haverá uma exposição de bonecas kokeshi, é uma boa lembrança. O festival vai até 30 de novembro 2019.

Jaqueline Kuriu é praticante de Kyudo, a arqueria tradicional japonesa, e estudante de japonês. Atualmente mora em Tóquio, mas nasceu em Curitiba, onde se formou em Educação Física pela UFPR. Trabalhou com dança e atividades culturais, e realizou palestras sobre arte, música, cultura e viagens.

Veja o perfil completo de Jaqueline Kuriu