Motoristas de táxi de Tóquio podem recusar passageiros que não usem máscaras

O ministério disse que a disposição foi aprovada para proteger não apenas os motoristas de táxi, mas também os passageiros

Motoristas de táxi de Tóquio podem recusar passageiros que não usem máscaras

O Ministério dos Transportes do Japão permitiu que motoristas de táxi em Tóquio recusassem passageiros que não usassem máscaras sem um motivo válido, em meio à preocupação persistente com a disseminação do novo coronavírus. A aprovação do dispositivo, solicitada por 10 empresas de táxi da capital, também pode afetar as normas de etiqueta em outras áreas do país.

A lei de transporte rodoviário do Japão estipula que os operadores de táxi não podem negar passageiros, a menos que estejam fortemente embriagados ou violentos com os motoristas, entre outras circunstâncias especiais. Os operadores de táxi estabelecem regras com base na legislação que deve ser autorizada pelo Ministério de Terras, Infraestruturas, Transportes e Turismo.

As empresas de táxi de Tóquio pediram ao ministério que lhes permitisse mudar parte das regras, já que o comportamento de passageiros bêbados falando alto sem usar máscaras aumentaria o risco de infecção por coronavírus para motoristas de táxi. “A disposição não endossa uma recusa generalizada de pessoas que não usam máscaras”, disse um funcionário do ministério dos transportes, acrescentando que se seus clientes não usam máscaras, os motoristas de táxi devem verificar se eles têm saúde ou outras razões inevitáveis.

Desde a eclosão do vírus, as empresas de táxi no Japão vêm tomando medidas de precaução, como a desinfecção frequente de veículos. Os motoristas devem usar máscaras faciais e também passar por verificações de temperatura corporal.