Máscaras não são mais um obstáculo para o novo sistema de reconhecimento facial NEC

A empresa vinha trabalhando no reconhecimento facial de pessoas usando máscaras, mesmo antes da pandemia

Máscaras não são mais um obstáculo para o novo sistema de reconhecimento facial NEC
Desbravando o Japão

A NEC Corp Japan lançou um sistema de reconhecimento facial que identifica as pessoas mesmo quando estão usando máscaras, adaptando-se a um novo normal onde as coberturas faciais se tornaram uma forma chave de proteção contra a disseminação do coronavírus. A empresa de tecnologia já estava trabalhando em um sistema para atender às necessidades dos alérgicos que usam máscaras – uma prática comum no Japão – quando a pandemia COVID-19 a levou a acelerar o desenvolvimento.

“As necessidades aumentaram ainda mais devido à situação do coronavírus, já que o estado de emergência (ano passado) continuou por um longo tempo, e agora apresentamos essa tecnologia ao mercado”, Shinya Takashima, gerente assistente da divisão de plataforma digital da NEC , disse à Reuters. O sistema identifica quando uma pessoa está usando uma máscara e detém às partes que não estão cobertas, como os olhos e áreas ao redor, para verificação. Os usuários registram uma foto de seu rosto com antecedência. A NEC diz que a verificação leva menos de um segundo e afirma uma taxa de precisão de mais de 99,9%.

O sistema pode ser usado nas portarias em edifícios de escritórios e outras instalações. A NEC também está testando a tecnologia para pagamentos automatizados em uma loja de conveniência não tripulada, em sua sede em Tóquio. A empresa se recusou a divulgar o preço do sistema. Ela tem como meta 100 bilhões de ienes (970 milhões de dólares) em vendas no ano fiscal de 2021 para seus negócios de biometria e análise de vídeo, que inclui seus sistemas de tecnologia facial.

O novo sistema começou a ser vendido em outubro e os clientes incluem a Lufthansa e a Swiss International Airlines. O reconhecimento facial significa não ter que apresentar um cartão de segurança, que pode ser perdido ou roubado, e também ajuda a prevenir a propagação de germes ao tocar nas superfícies, disse Takashima. “A verificação sem toque se tornou extremamente importante devido ao impacto do coronavírus”, disse ele. “No futuro, esperamos contribuir para a segurança e a paz de espírito, fortalecendo esforços nessa área”.

Leia em Reuters (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também