Japão reforça publicidade de segurança alimentar

Ainda hoje, 20 governos mantém proibições ou outras restrições, após o desastre que se seguiu a um grande terremoto e tsunami em 11 de março de 2011

Japão reforça publicidade de segurança alimentar

O Japão aumentará seus esforços para persuadir 20 governos estrangeiros a suspender ou diminuir as restrições à importação de produtos japoneses. As medidas foram motivadas pela preocupação com as consequências radioativas do acidente nuclear de Fukushima Daiichi, nove anos atrás.

Mas cinco governos, incluindo os da Coréia do Sul e China, mantêm suas proibições e outras restrições em vigor para os alimentos produzidos em Fukushima e nas prefeituras próximas. Quinze outros, incluindo a Indonésia e a União Européia, continuaram exigindo certificação nos níveis de materiais radioativos contidos nos alimentos.

O Ministério das Relações Exteriores do Japão usará cúpulas, reuniões ministeriais e outras ocasiões para solicitar que esses 20 países e territórios descartem ou relaxem suas proibições e restrições.

As medidas têm como alvo produtos, como frutos do mar e cogumelos. As Filipinas, Malásia e outros 32 países já removeram suas restrições de importação. O ministério diz que o padrão de segurança alimentar do Japão para o césio radioativo é 10 vezes mais rigoroso do que o dos Estados Unidos e da União Européia.

N34 - 16-03-2020