Japão e Alemanha concordam em cooperar no desenvolvimento da vacina contra o COVID-19

Durante uma cúpula virtual, os líderes dos dois países prometeram trabalhar juntos em prol de uma reunião bem-sucedida do G7, que deve ocorrer entre o final de agosto e o início de setembro nos Estados Unidos.

Japão e Alemanha concordam em cooperar no desenvolvimento da vacina contra o COVID-19

O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe e a chanceler alemã Angela Merkel concordaram em aprofundar a cooperação para enfrentar os desafios da pandemia global do novo coronavírus, incluindo o desenvolvimento de uma vacina eficaz.

Abe disse a Merkel que o Japão contribuirá para o desenvolvimento e distribuição de vacinas por meio do que é conhecido como ACT-Accelerator, disse um alto funcionário do governo japonês. O ACT-Accelerator é uma estrutura colaborativa lançada recentemente, liderada pela Organização Mundial da Saúde para acelerar o desenvolvimento e a distribuição de medicamentos e vacinas para tratamento de COVID-19, a doença respiratória causada pelo coronavírus.

O primeiro-ministro também disse que Tóquio está buscando melhorar o sistema de saúde nos países em desenvolvimento, inclusive na África, e Merkel respondeu que a Alemanha quer trabalhar com o Japão para esse mesmo fim. O presidente dos EUA, Donald Trump, inicialmente queria realizar a reunião pessoalmente nos Estados Unidos no final de junho, mas Merkel estava relutante em comparecer em meio à pandemia. Os outros membros do G-7 são Grã-Bretanha, Canadá, França e Itália, além da União Européia.

Nas negociações de 35 minutos, Merkel pediu a Abe que diminuísse as restrições de viagem impostas em meio ao surto do vírus e o líder japonês disse que Tóquio consideraria retomar as viagens gradualmente depois de levar em conta a situação da infecção, segundo a autoridade japonesa. O Japão proibiu extensivamente a entrada de viajantes de 129 países e regiões, incluindo a Alemanha. No início do mês, a União Européia suspendeu as restrições de viagem impostas durante a pandemia para o Japão e 13 outras nações.