Japão diz que o Líbano concorda com a necessidade de resolver o caso de Carlos Ghosn

Tóquio solicitou a extradição de Ghosn através da Interpol, mas Beirute indicou que é improvável que ele o entregue. O Japão não possui um tratado de extradição com o Líbano.

Japão diz que o Líbano concorda com a necessidade de resolver o caso de Carlos Ghosn

O vice-ministro da Justiça do Japão disse que ele e o presidente do Líbano, Michel Aoun, concordaram com a necessidade de resolver o caso do ex-chefe da Nissan Motor Co., Carlos Ghosn, que abandonou a fiança e fugiu do Japão para o país do Oriente Médio.

“Transmiti claramente a posição do governo japonês (ao Líbano) e os dois países concordaram completamente que é extremamente importante que solucionemos o caso”, disse Hiroyuki Yoshiie em uma entrevista coletiva em Tóquio depois de retornar de sua reunião com Aoun no Líbano.

“Eu disse diretamente ao presidente que o governo japonês acredita que é natural que o réu Ghosn seja julgado em um tribunal japonês” por alegações de que ele usou mal os fundos da Nissan e subestimou sua remuneração em bilhões de ienes por anos, disse Yoshiie.

Ambos os lados continuarão as discussões em nível de trabalho sobre o assunto, acrescentou. Ghosn, que nega todas as alegações, disse que fugiu do Japão para escapar do que descreveu como um sistema judicial “fraudado”.

N28 - 12-03-2020
Foto: Kyodo News