Japão desenvolverá sistema de interceptação para mísseis de trajetória irregular da Coréia do Norte

O governo japonês designou o rápido aprimoramento da tecnologia de mísseis balísticos pela Coréia do Norte como uma “nova ameaça”

Japão desenvolverá sistema de interceptação para mísseis de trajetória irregular da Coréia do Norte

Em meio às ameaças crescentes dos mísseis balísticos norte-coreanos, a Agência de Defesa do Japão iniciou deliberações sobre o desenvolvimento de um novo sistema de interceptação de mísseis.

A pesquisa começará em 2020 para melhorar o míssil superfície-ar de médio alcance Type-03 da Força de Autodefesa Terrestre (Chu-SAM), adicionando capacidade de interceptação de mísseis balísticos. A agência pretende ser capaz de responder a um novo tipo de míssil que está sendo desenvolvido pela Coréia do Norte e que segue uma trajetória irregular.

Vários oficiais do governo revelaram o novo desenvolvimento em dezembro de 2019. Uma vez concluído, o novo sistema fortaleceria a autodefesa aérea do Japão como a “terceira linha” de defesa, após o míssil interceptador SM-3 lançado pela Força Marítima de Autodefesa. O Aegis cruiser e o sistema de mísseis Patriot superfície-ar da Força de Autodefesa Aérea (PAC3).

O sistema de mísseis Chu-SAM foi desenvolvido internamente. As implantações de uma versão atualizada, que aumenta significativamente o alcance de 100 quilômetros do míssil, devem começar nas unidades da Força de Autodefesa Terrestre do Japão (JGSDF) no final de 2020. Embora o Chu-SAM possa abater aviões de combate inimigos e mísseis de cruzeiro, ele atualmente não pode se defender contra mísseis balísticos. Assim, a Agência de Defesa está promovendo melhorias para criar uma versão atualizada do Chu-SAM, tornando-o capaz de interceptar mísseis balísticos pouco antes do impacto.

N42 - 20-01-2020