Governo de Tóquio enfrenta pressão popular para abrigar seus sem-teto na Vila Olímpica

O governo metropolitano de Tóquio ainda não se manisfestou sobre o assunto

Governo de Tóquio enfrenta pressão popular para abrigar seus sem-teto na Vila Olímpica
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

Parte da série Olimpíadas de Tóquio, em 50 posts

O Japão está se esforçando para abrigar um grupo de moradores de rua frequentemente esquecido, que dormia em cibercafés, que agora estão fechados devido a bloqueios por coronavírus, com uma petição que vem recebendo apoio: abrir a Vila Olímpica de Tóquio para abriga-los.

São pelo menos 4.000 pessoas sem moradia,usam cibercafés para dormir, segundo o governo metropolitano de Tóquio, sendo que 80% deles estão empregados. Inicialmente, esses cafés forneciam apenas serviços de internet, mas agora têm chuveiros e cabines privativas alugáveis ​​a cada hora e se tornaram populares entre os passageiros que perdem o último trem para casa e os sem-teto, principalmente mulheres, de acordo com instituições de caridade.

As autoridades têm quartos de hotel para cerca da metade deles, disse Ren Ohnishi, presidente da Moyai, uma organização sem fins lucrativos. “Mas muitos deles não sabem que as autoridades garantiram quartos de hotel devido à comunicação limitada da cidade, e o processo de inscrição também é muito confuso”, disse ele à Thomson Reuters Foundation.

Ohnishi pediu às autoridades da cidade que abram a Vila Olímpica para todos os sem-teto, agora que os Jogos Olímpicos de Verão de 2020 foram adiados, lançando uma petição online com mais de 53.000 assinaturas. A vila olímpica deveria abrigar 11.000 atletas durante os Jogos de 2020, que estão agendados para 2021. “É uma acomodação de alta capacidade que pode ser usada por um período mais longo. Seria um símbolo de apoio e solidariedade ao Japão”, disse Ohnishi.

N18 - 08-05-2020
A Vila Olímpica de Tóquio  
Foto: AP

Leia em Japan Today (Rina Chandran - Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também