Gerente do Japan Post é demitido por desvio de 130 milhões de ienes em selos

A filial do Japan Post emitiu um comunicado se desculpando e prometendo que tomará medidas para evitar que esse crime ocorra novamente

Gerente do Japan Post é demitido por desvio de 130 milhões de ienes em selos

De acordo com a Polícia da Província de Osaka, por volta de setembro de 2017, Taisuke Kawasaki, gerente em uma filial do Japan Post, teve a ideia de simplesmente guardar os selos para si em vez de jogá-los fora. Ele então os vendia para as chamadas “bilheterias”, lojas especializadas na revenda de certos itens, como tíquetes de transporte, vale-presentes e produtos postais.

Kawasaki trabalhava no bairro Naka da cidade de Sakai, província de Osaka. Lá, as empresas enviam uma grande quantidade de correspondência de uma só vez, e em vez de anexar um selo a cada peça, os selos são simplesmente comprados e descartados. Ele supostamente fez isso até junho de 2018, embolsando cerca de 130 mil selos de 1000 ienes que já haviam sido comprados, juntos avaliados em cerca de 130 milhões de ienes. No entanto, como as bilheterias pagariam abaixo do custo pela revenda, ele teria levado para casa cerca de 120 milhões.

Além disso, de acordo com a NHK, o comprador ou compradores estavam na distante prefeitura de Saitama e os selos foram enviados pela Kawasaki de Osaka. Isso levanta a questão de saber se ele foi ousado o suficiente para ter usado o Japan Post para enviá-los ou simplesmente recorreu a um mensageiro.

De qualquer forma, parece que a emoção de revender selos cegou Kawasaki para o tamanho de seu crime, o que permitiu que ele fosse detectado em uma auditoria de sua filial pela Agência Nacional de Impostos em julho passado. Na investigação policial que se seguiu, Kawasaki teria admitido o desfalque. Ele foi demitido de seu emprego e acusações criminais foram apresentadas.