Exercite seu corpo para prevenir a depressão

Exercite seu corpo para prevenir a depressão

Uma das formas de prevenir a depressão, doença que pode levar ao suicídio, é exercitar o corpo com regularidade e bem orientado

Setembro é o mês de campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. A depressão, uma das maiores causas deste mal, pode ser prevenida por meio das atividades físicas regulares.

A depressão é algo que hoje em dia está sendo muito discutido. Porém, um agravante é que cada vez mais são diagnosticadas crianças e adolescentes em quadros depressivos. As causas são diversas e o suicídio é a pior das consequências.

Ela é caracterizada por tristeza, baixa da autoestima, pessimismo, pensamentos negativos recorrentes, desesperança e desespero. Seus sintomas são, fadiga, irritabilidade, retraimento e formação de ideias suicidas.

Essa doença está associada a uma alta incapacidade e perda social. Muitos estudos apontam a possibilidade de pessoas fisicamente ativas, em qualquer idade, apresentarem uma melhor saúde mental do que sedentários.

Qual a relação entre a prática de exercícios e a depressão?

Uma das hipóteses sobre relação dos exercícios agindo nos sintomas de ansiedade e depressão é a das endorfinas, que sugere que a prática de atividade física soltaria uma secreção de endorfinas capaz de resultar em um estado de euforia natural, aliviando assim esses sintomas. 

Outra ideia é que o exercício físico regularia a neurotransmissão de noradrenalina e serotonina, aliviando os sintomas de depressão. E uma terceira hipótese seria a cognitiva, eminentemente psicológica, a qual se fundamenta na melhoria da autoestima, sustentando que a prática de exercícios, em longo prazo, melhora a imagem de si mesmo, logo, da autoestima.

Neste sentido, estudos recentes têm-se debruçado sobre o potencial papel da atividade física na prevenção e/ou tratamento da depressão e dos sintomas depressivos (Paluska & Schwenk, 2000). Vasconcelos-Raposo e Rodrigues (2006) com o propósito de analisar o bem-estar psicológico, a auto-estima e a depressão em indivíduos praticantes de atividade física regular, verificaram que metade deles acreditavam que a atividade física pode contribuir para um melhor bem-estar psicológico. Deste modo, os indivíduos optam pelo exercício físico como estratégia para regular os seus estados depressivos e de forma a aumentarem os seus níveis de energia.

No Japão, Fukukawa, Nakashima, Tsuboi, Kozakai, Doyo, Niino et al. (2004), examinaram a associação entre a atividade física e os sintomas depressivos em 1151 adultos, verificando que atividade física exerce um efeito protetor no surgimento de sintomas depressivos.

Os tratamentos para a depressão, em sua grande maioria, são medicamentosos. Porém a prática de atividade física é uma terapia adjuvante altamente benéfica que pode prevenir e auxiliar no tratamento. 

As pesquisas demonstram que a prática de exercícios regulares, além dos benefícios fisiológicos – melhora da saúde do corpo – acarreta benefícios psicológicos, tais como: aumento da sensação de bem estar, melhora o humor e a autoestima, assim como, reduz a ansiedade, a tensão e a depressão.

Parece que a prática de exercícios físicos merece um lugar de importância na vida das pessoas. Assim, muitas doenças físicas e do âmbito psicológico podem ser evitadas, consequentemente, aumentando a qualidade de vida da população.

Fundadora de YUMI SAITO SPORTS LIFE & CONSULTORIA, é professora de Educação física, especializada em educação especial. Tem 11 anos de experiência em treinamento de grupos especiais e educação física escolar.

Veja o perfil completo de Yumi Saito