Avigan da Fujifilm é inconclusivo em pacientes com COVID-19 no Japão

O governo japonês instou a Fujifilm a triplicar os estoques nacionais do medicamento e prometeu entregá-la aos países que a solicitarem

Avigan da Fujifilm é inconclusivo em pacientes com COVID-19 no Japão
Desbravando o Japão

Receba os posts por email assim que foram publicados

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

Um teste clínico do medicamento Avigan da Fujifilm Holdings Corp produziu resultados inconclusivos de seu uso como tratamento para o COVID-19, disseram pesquisadores japoneses. Embora os pacientes que receberam o medicamento, no início do estudo, tenham mostrado mais melhorias do que aqueles que receberam doses posteriormente, os resultados não atingiram significância estatística, disse o pesquisador da Fujita Health University, Yohei Doi.

Os resultados foram anunciados em uma entrevista coletiva, seguiram a conclusão de um ensaio clínico, realizado entre março e maio, em 89 pacientes em todo o Japão. O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe disse que esperava que o medicamento fosse aprovado como tratamento COVID-19 em maio, mas a falta de pacientes no Japão atrasou o progresso dos ensaios clínicos. O medicamento foi aprovado como tratamento COVID-19 na Rússia e na Índia.

Conhecido genericamente como favipiravir, o Avigan foi desenvolvido por uma subsidiária da Fujifilm e foi aprovado no Japão como tratamento emergencial de influenza em 2014. O interesse pela droga aumentou em março, depois que uma autoridade chinesa disse que parecia ajudar os pacientes a se recuperarem do COVID-19.

Agora é objeto de pelo menos 25 ensaios clínicos em todo o mundo. Preocupações permanecem com a droga, uma vez que foi demonstrado que causa defeitos congênitos em estudos com animais.

Leia em Reuters (Rocky Swift, Chris Gallagher e Chang-Ran Kim - Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também