Byakue Dai-Kannon, a Deusa da Misericórdia

Byakue Dai-Kannon, a Deusa da Misericórdia

Na cidade de Takasaki existe uma majestosa estátua de Kannon, a deusa da misericórdia. Desde o alto do Monte Kannonyama, no Templo Jigen-in, a estátua lança seu misericordioso olhar sobre a cidade da qual é considerada guardiã

A estátua é também chamada de Byakue Dai-Kannon. Byakue (白衣) significa veste branca, e Dai-Kannon significa grande Kannon, fazendo seu nome ser a Grande Kannon da veste branca. Ela foi esculpida por Torizo ​​Morimura a pedido do empresário Inoue Yasaburo em 1936. Byakue Dai-Kannon tem 41,8 m de altura e pesa cerca de 6 toneladas de puro concreto. Na época de sua construção, era a maior estátua de Kannon do mundo.

Em seu interior há um observatório, que fica na altura dos ombros. A escadaria é dividida em 9 níveis e o percurso contém 20 estátuas de divindades budistas. Não há elevador. Ao preço de ¥300 é possível ter uma vista panorâmica para a cidade de Takasaki, bem como para as “Três Montanhas de Jomo”, desde o seu observatório.

Byakue Dai-Kannon, a Deusa da Misericórdia 1
Foto por Jaqueline Kuriu

Diz uma lenda que um escritor chamado Yasuzaemon encontrou uma estátua de Kannon enquanto pescava em uma praia perto de Kamakura e a trouxe para ser consagrada no Templo Jigen-ji. A história é semelhante à consagração de Kannon Bosatsu, no Templo Sensoji, em que uma estátua de Kannon foi encontrada por dois pescadores no rio Sumida, em Asakusa, Tóquio.

O templo Jigen-in tem um belíssimo salão todo decorado com lanternas e no seu entorno há um bosque que convida à reflexão e ao relaxamento. Em qualquer época do ano é lindo! Na primavera as mais de 3000 cerejeiras formam uma moldura em tons de rosa no entorno de Byakue Dai-Kannon. Já no outono, as cores vibrantes do koyo, a folhagem em tons de laranja, amarelo e vermelho, aquecem o coração no momento em que a temperatura está caindo até cobrir-se de branco com a chegada do inverno. No verão acontece o Bantokai, uma cerimônia iniciada no período Nara onde são colocadas milhares de velas no entorno de Kannon e as pessoas pedem por sucesso e a absolvição de seus pecados.

A estátua é muito conhecida como a primeira parada na peregrinação dos 88 terrenos sagrados de Kanto. Em 1998, a estátua recebeu o Prêmio Cenário Urbano de Takasaki e, em 2000, foi considerada Propriedade Cultural Tangível do Japão.

Jaqueline Kuriu é praticante de Kyudo, a arqueria tradicional japonesa, e estudante de japonês. Atualmente mora em Tóquio, mas nasceu em Curitiba, onde se formou em Educação Física pela UFPR. Trabalhou com dança e atividades culturais, e realizou palestras sobre arte, música, cultura e viagens.

Veja o perfil completo de Jaqueline Kuriu