Vacinação: metade da população já recebeu pelo menos 1 dose contra COVID-19 no Japão

O Japão se aproxima de vacinar a mesma porcentagem dos Estados Unidos e do Reino Unido, a medida que as contaminações disparam

Vacinação: metade da população já recebeu pelo menos 1 dose contra COVID-19 no Japão

Metade da população do Japão já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra o COVID-19, disse o governo, um marco enquanto o país enfrenta sua maior onda de infecções, com a contagem nacional de novos casos ultrapassando 23 mil contaminados em um único dia, em outro recorde.

Pouco menos de 64 milhões, dos 125 milhões habitantes do país, haviam sido parcial ou totalmente vacinados até a terça-feira, de acordo com dados divulgados pelo Gabinete do Primeiro-Ministro, depois que o programa de vacinação foi lançado em fevereiro, inicialmente para profissionais de saúde e expandido para os idosos em abril e para a população em geral.

A vacinação segue em todo país

vacina

Aproximadamente 49 milhões de pessoas, ou quase 40%, já receberam as duas doses da vacina.

De acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Previdência, o número de pessoas que receberam as duas doses da vacinas e ainda contraíram COVID-19 foi menos de um quinze avos do número de pessoas não vacinadas que contraíram o vírus, entre os casos notificados do dia 10 de agosto ao dia 12.

Quase metade da população deve ter recebido duas doses até o final de agosto e cerca de 60% receberão até o final de setembro, colocando o Japão quase no mesmo nível dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga em entrevista coletiva.

O Japão tem usado até agora exclusivamente vacinas COVID-19 desenvolvidas pela Pfizer Inc. ou Moderna Inc. Começaram apenas esta semana os embarques da vacina AstraZeneca Plc para uso em pessoas com 40 anos ou mais para províncias que mais precisam de doses adicionais, como Tóquio e Osaka.

O governo está considerando administrar uma terceira dose no próximo ano, em meio a preocupações com a redução da eficácia da vacina com o tempo e a disseminação de variantes altamente contagiosas do coronavírus.

Alguns países, incluindo Israel, já começaram a aplicar as doses de reforço, enquanto a Organização Mundial da Saúde pediu às nações ricas que esperem que os países em desenvolvimento garantam mais doses.

O que dizem os especialistas

Especialistas que aconselharam o ministério sobre medidas contra o coronavírus disseram que medidas precisam ser tomadas para lidar com a atual situação de “nível de desastre” em todo o país.

vacina

O progresso do Japão na vacinação de sua população ocorre enquanto o governo luta para conter um aumento nacional de COVID-19, decidindo expandir seu Estado de Emergência para mais províncias e estendê-lo até o dia 12 de setembro, após o fim dos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Shigeru Omi, o principal conselheiro do COVID-19 no país, disse em uma audiência parlamentar que acredita que os números reais de infecção são maiores do que o relatado devido a testes insuficientes, alertando que a variante Delta e as pessoas se tornando menos cooperativas com as restrições impostas pelo governo causaram o aumento em casos.

Suga pediu ao maior lobby de negócios do Japão que permitisse que os funcionários trabalhassem em casa, após ligar para empresas pedindo para reduzirem o número de passageiros em 70%.

Ao encontrar Masakazu Tokura, presidente da Federação de Negócios do Japão conhecida como Keidanren, em seu escritório em Tóquio, Suga disse: “O teletrabalho é uma contramedida eficaz. Pode ser difícil para algumas indústrias implementar, mas peço sua cooperação.”

Tokura respondeu que notificará os membros do lobby sobre o pedido, dizendo aos repórteres após a reunião que também pediu a Suga que disponibilizasse amplamente o tratamento com “coquetel de anticorpos”.

O tratamento, no qual os pacientes com COVID-19 recebem casirivimabe e imdevimabe via intravenosa, reduz o risco de hospitalização ou morte em cerca de 70%, de acordo com ensaios clínicos no exterior.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *