Vacinação em idosos será distribuída com base no tamanho da população

Segundo o ministro responsável pela vacinação, a quantidade de infecções não é critério para prioridade

Vacinação em idosos será distribuída com base no tamanho da população
Desbravando o Japão

Parte da série Coronavírus, em 356 posts

A distribuição de doses da vacina contra o novo coronavírus em idosos no Japão, com início previsto para abril, será proporcional à população de cada província e não ao número de infecções, disse ministro. “Inicialmente, vamos distribuir (as doses da vacina) com base na população” e depois de acordo com o andamento das vacinações, disse em um programa de TV Taro Kono, ministro responsável pela implantação da vacinação.

Questionado sobre a possibilidade de que grandes cidades como Tóquio e Osaka, com maior número de novas infecções diárias, tenham prioridade no recebimento de doses de vacina para idosos, Kono disse: “No momento, não dou muita atenção” à situação da infecção. Ele também acrescentou que o plano de distribuição será ajustado conforme o necessário, reconhecendo que é improvável que seja “perfeito desde o início”.

O Japão começou a inocular um grupo inicial de 40 mil profissionais de saúde na última quarta-feira, na primeira fase de seu programa de vacinação. Para as pessoas com 65 anos ou mais, um grupo de cerca de 36 milhões, a vacinação terá início em abril dentro do cronograma definido pelo Ministério da Saúde. Mas Kono disse no domingo que a vacina estará disponível apenas em áreas limitadas e entre grupos de idade limitados durante aquele mês devido à falta de oferta.

Funcionários com menos de 65 anos em lares de idosos também foram adicionados à lista de prioridades “a fim de prevenir a ocorrência de infecções em cluster nas instalações”, disse Kono. Após o início da vacinação em pessoas com 65 anos ou mais, serão direcionadas as pessoas com doenças preexistentes e as que trabalham em instituições de cuidados a idosos e, finalmente, a população em geral, segundo o ministério da saúde.

Leia em Kyodo News (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também