Universidades no Japão tomam precauções em resposta ao surto de coronavírus

As universidades estão se esforçando para lidar com a ameaça de infecções causadas pelo surto de coronavírus na China e no mundo

Universidades no Japão tomam precauções em resposta ao surto de coronavírus

A Universidade Ritsumeikan em Quioto, que tem cerca de 1.400 estudantes chineses,contatou cerca de 25 alunos que são de Wuhan, o epicentro do surto de coronavírus. Segundo a escola, 22 destes estudantes não deixaram o Japão no mês passado, mas dois estão atualmente em Wuhan. A escola confirmou o status do casal e está buscando informações sobre outros 35 da província de Hubei. Wuhan é a capital de Hubei.

O operador da escola, Ritsumeikan Trust, publicou um aviso para estudantes e funcionários que entram no Japão da China, exortando aqueles com febre ou outros sintomas a informar as autoridades aeroportuárias e aqueles sem sintomas a monitorar sua própria saúde por duas semanas após a chegada.

Outras dezenas de Universidades do Japão também estão tomando medidas em relação aos seus estudantes chineses. A Universidade de Ciências de Tóquio e Quioto optaram por suspender seus programas com estudantes chineses.

Alguns japoneses que estudam na China estão tentando suspender seus programas e retornar ao Japão. De acordo com o escritório administrativo do Tobitate, a Study Abroad Initiative, um programa de ajuda acadêmica, muitos que receberam suas bolsas de estudos agora está perguntando como a suspensão dos estudos no exterior afetará sua ajuda financeira. “(Os alunos) podem ter certeza de que lidaremos com a questão de maneira flexível e não exigiremos reembolso”, disse um representante.

N19 - 11-02-2020