Japonês é inocentado de roubo por alegar que estava “pegando emprestado” a bicicleta da vítima

Pode-se dizer que o suspeito estava roubando a longevidade da bicicleta devido ao uso e desgaste. Provavelmente, essa foi a única vez que essa desculpa funcionou

Japonês é inocentado de roubo por alegar que estava “pegando emprestado” a bicicleta da vítima

Um julgamento no Tribunal Distrital de Fukuoka no dia 28 de setembro, um precedente legal interessante foi aberto, quando um homem foi declarado inocente de roubo após demonstrar com sucesso que estava apenas pegando emprestado, repetidamente, uma bicicleta sem permissão, do estacionamento de um complexo habitacional.

O suspeito de 24 anos estava andando de bicicleta quando foi parado pela polícia para interrogatório de rotina. Ao saber que a bicicleta não era do homem, o policial o prendeu por furto. Como o homem estava atualmente em liberdade condicional por uma acusação anterior de roubo, essa acusação provavelmente resultaria em penalidades pesadas.

Durante o julgamento, o homem explicou que, após ser libertado da prisão, mudou-se para o conjunto habitacional em questão e notou uma bicicleta destrancada no estacionamento. Assim, ele usava a bicicleta para ir ao supermercado ou loja de conveniência, geralmente por cerca de uma hora de cada vez e sempre a colocava de volta onde a encontrou. No momento em que foi parado para interrogatório, o homem estava usando a bicicleta há cerca de 12 horas. Ainda assim, o juiz decidiu que, com base em seu uso anterior, meio dia “não estava além do escopo do empréstimo”.

Um promotor do caso disse à mídia, “depois de examinar a decisão e consultar as agências superiores, responderemos apropriadamente, assim que descobrirmos o que aconteceu, saberemos o que fazer”.