Sobreviventes da bomba atômica querem que Biden pressione pelo desarmamento nuclear

Os sobreviventes dos atentados atômicos ao Japão querem uma postura mais ativa de Biden, já que Obama havia defendido um mundo sem essas armas e, segundo eles, falhou

Sobreviventes da bomba atômica querem que Biden pressione pelo desarmamento nuclear
Desbravando o Japão

Sobreviventes dos bombardeios atômicos americanos de Hiroshima e Nagasaki deram as boas-vindas à vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais dos EUA e esperam que as negociações sobre o desarmamento nuclear avancem sob sua administração. Os sobreviventes dos atentados de 1945 nas duas cidades japonesas expressaram expectativas de que Biden, um democrata que derrotou o presidente do Partido Republicano Donald Trump, abordará a questão das armas nucleares após assumir o cargo em janeiro do próximo ano.

“Esperamos ver progresso nas negociações sobre desarmamento nuclear após a mudança de presidente”, disse Kunihiko Sakuma, chefe de um grupo com sede em Hiroshima que apoia sobreviventes e a si mesmo como vítima da bomba atômica. “Gostaria que os Estados Unidos participassem como observador nas reuniões do Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares, que entrará em vigor em janeiro do próximo ano”, disse Sakuma, referindo-se ao tratado da ONU adotado em 2017.

Em agosto, Biden, o ex-vice-presidente do antecessor de Trump, Barack Obama, disse que se esforçará por um mundo sem armas nucleares e criticou o presidente republicano por minar os esforços anteriores para conter os perigos de tais arsenais. “Vou trabalhar para nos aproximar de um mundo sem armas nucleares, para que os horrores de Hiroshima e Nagasaki nunca se repitam”, disse Biden em um comunicado divulgado no 75º aniversário da bomba atômica em Hiroshima, oeste do Japão.

Takeshi Yamakawa, um ex-professor que sobreviveu ao ataque em Nagasaki, disse que gostaria que Biden apresentasse um plano específico para concretizar a abolição das armas nucleares, já que Obama – que defendeu um mundo sem armas nucleares – falhou em cumpri-lo. Mas como Obama se tornou o primeiro presidente dos EUA em exercício a visitar Hiroshima em 2016, Yamakawa disse que o presidente eleito deveria fazer uma visita a Nagasaki. “Por que Biden não pode se tornar o primeiro presidente dos Estados Unidos a visitar Nagasaki? Isso criará uma oportunidade para ele mostrar seu esforço de atender aos desejos dos sobreviventes”, disse ele.

Leia em The Mainichi (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também