Segundo relatório, fluxos piroclásticos de erupção do Monte Fuji podem cortar estradas usadas para evacuação

O relatório mais recente abrangeu fluxos piroclásticos e pequenos fluxos de lava, e o conselho deveria simular fluxos de lava de média a grande escala até o final do ano fiscal de 2020

Segundo relatório, fluxos piroclásticos de erupção do Monte Fuji podem cortar estradas usadas para evacuação

Um conselho de gestão de desastres do Monte Fuji disse que os fluxos piroclásticos podem romper as principais estradas no caso de uma erupção da montanha mais alta do Japão, ressaltando a necessidade de revisar os planos de evacuação existentes que usam as estradas.

Em um relatório provisório sobre uma revisão de um mapa de risco do Monte Fuji, o conselho previa que fluxos de gás quente e matéria vulcânica poderiam viajar cerca de 4 quilômetros além do que se pensava anteriormente em Fujiyoshida, na Província de Yamanashi, e 2 km a mais em Fujinomiya, na província de Shizuoka, depois analisou 35 locais com declives acentuados.

A reavaliação significou que partes da estrada com pedágio de Higashifujigoko que liga Fujiyoshida e Oyama de Shizuoka, bem como a estrada do Monte Fuji Skyline que liga Fujinomiya e Gotemba dentro de Shizuoka, poderiam ser destruídas.

O Monte Fuji, a cerca de 100 km a sudoeste de Tóquio, entrou em erupção pela última vez em 1707. Na época, as erupções continuaram por 16 dias, deixando uma camada de cinzas vulcânicas com cerca de 4 centímetros de espessura em locais no centro atual de Tóquio.

N16 - 07-04-2020
Foto: Kyodo

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *