Políticos do Japão sugerem a criação de vale-produto para população. Carne wagyu e máscaras seriam distribuídos gratuitamente

Apesar disso, alguns já reagem negativamente a proposta

Políticos do Japão sugerem a criação de vale-produto para população. Carne wagyu e máscaras seriam distribuídos gratuitamente

Parte da série Coronavírus, em 354 posts

Apesar do cenário caótico em alguns países, como nos Estados Unidos onde milhões ficaram desempregados nas últimas semanas, o Governo japonês está querendo evitar que o mesmo ocorra, criando algumas soluções. Sem perder tempo, o país está considerando vários pacotes de suporte para ajudar residentes ​​a sobreviverem ao vírus, desde fornecer 300.000 ienes em dinheiro para cada família necessitada no Japão, até prazos maiores para pagamento de contas de energia, gás e celular.

Os políticos do LDP estão propondo aliviar a situação dos criadores da a carne wagyu, já que suas vendas caíram à medida que os turistas cancelam suas viagens. Para lidar com o excedente de carne oficiais do governo estão propondo a distribuição de vale-produto para a “compra” de 400 gramas de carne wagyu, principalmente para famílias com filhos, que poderiam ser usados em um período máximo de 3 meses.

Quanto as máscaras, o primeiro-ministro Shinzo Abe propôs recentemente a distribuição de máscaras de pano reutilizáveis ​​para os quase 50 milhões de lares no Japão. Embora a eficácia das máscaras na prevenção da infecção pareça questionável, esse equipamento de proteção provavelmente tem algum efeito na prevenção de indivíduos assintomáticos de espalhar a doença.

Os moradores, no entanto, não estão impressionados. O plano, que muitos apelidaram de iniciativa Abenomask, tem sido amplamente criticado como um desperdício de dinheiro dos contribuintes. Como se vê, as fibras de uma máscara de tecido são mais ou menos tecidas. Segundo Kazunari Onishi, professor de saúde pública, a eficácia das máscaras de pano é realmente limitada.

N24 - 09-04-2020

Leia em Grapee (Luke Mahoney - Inglês)

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *