Governo fornecerá 300.000 ienes em dinheiro para cada família necessitada no Japão

Governo fornecerá 300.000 ienes em dinheiro para cada família necessitada no Japão

Espera-se que cerca de 10 milhões dos 58 milhões de lares sejam elegíveis para o programa de caixa, um pilar fundamental de um pacote econômico de emergência

Após o governo anunciar que irá doar máscaras de pano para 50 milhões famílias para combater vírus, o primeiro-ministro Shinzo Abe e seu Partido Liberal Democrata, concordaram na sexta-feira que o governo fornecerá 300.000 ienes (2.800 dólares) em dinheiro para cada família que sofre com a queda de renda em meio à disseminação do novo coronavírus.

“Eu disse ao primeiro ministro que 300.000 ienes deveriam ser dados a cada família cuja renda diminuiu para um certo nível”, disse o chefe de política do PDL, Fumio Kishida, a repórteres após uma reunião com Abe, acrescentando que o primeiro ministro concordou com a idéia.

Espera-se que cerca de 10 milhões dos 58 milhões de lares sejam elegíveis para o programa de caixa, um pilar fundamental de um pacote econômico de emergência que o governo planeja compilar possivelmente na terça-feira, segundo autoridades com conhecimento do assunto.

O governo estava inicialmente pensando em 200.000 ienes a cada família necessitada, mas o primeiro-ministro concordou com a proposta de aumentar a quantia, pois acredita que é necessário um apoio mais drástico, disseram as autoridades.

O programa em dinheiro será financiado por um orçamento suplementar para este ano fiscal que o governo deseja aprovar no parlamento antes do feriado da Semana Dourada do Japão começar no início de maio.

O governo não estabelecerá um limite de renda familiar para a distribuição de dinheiro, que será isenta de impostos, de acordo com as autoridades.

“Se estabelecermos um limite de renda, teríamos que verificar a renda individual, o que levaria muito tempo”, disse Yasutoshi Nishimura, ministro encarregado da política econômica e fiscal, em entrevista coletiva. “Em vez disso, apresentaremos uma maneira sem precedentes (para julgar quem deve receber dinheiro).”

Nishimura disse que os beneficiários serão limitados àqueles que enfrentam dificuldades de subsistência e que funcionários públicos, políticos e grandes executivos corporativos que não foram significativamente afetados pelo impacto econômico do surto de vírus, por exemplo, serão excluídos do esquema.

O governo elaborará detalhes como o nível de queda de renda que qualificaria as famílias para o programa e como os candidatos devem registrar pedidos de apoio aos governos municipais, de acordo com as autoridades.

Abe disse que o governo fornecerá dinheiro “o mais rápido possível”, não apenas para as famílias, mas também para as pequenas e médias empresas que viram suas receitas caírem.

Abe disse que o pacote para combater o coronavírus será maior que o pacote de emergência de 56,8 trilhões de ienes compilado em abril de 2009 após a crise financeira global do ano anterior.

O LDP pediu um pacote de 60 trilhões de ienes, incluindo 20 trilhões de ienes de gastos fiscais.

Em resposta à crise financeira de 2008 após o colapso da Lehman Brothers Holdings Inc., o governo reservou cerca de 2 trilhões de ienes para fornecer aos cidadãos japoneses 12.000 ienes, com pessoas com 65 anos ou mais e 18 anos ou mais, recebendo 8.000 ienes adicionais .

O ministro das Finanças, Taro Aso, que foi o primeiro-ministro durante a crise de 2008, disse a jornalistas na sexta-feira que a experiência dos folhetos de 2009 mostrou que fornecer dinheiro às famílias em geral seria “sem sentido”.

Em uma outra conferência de imprensa, o Secretário-Geral Yoshiwei Kan declarou que o governo considera também conceder o benefício em dinheiro para estrangeiros que permanecem no Japão. Ele disse que o projeto prosseguirá com referência ao valor fixo de benefícios pagos a todos os cidadãos, incluindo estrangeiros, como ocorreu em 2009.

N08 - 03-04-2020