Pesquisa diz que cidades do Japão reconheceram apenas 900 casais LGBT desde 2015

No Japão, os casamentos entre pessoas do mesmo sexo não são legalmente reconhecidos e os certificados emitidos não são legalmente válidos

Pesquisa diz que cidades do Japão reconheceram apenas 900 casais LGBT desde 2015
Desbravando o Japão

Um total de 900 casais de minorias sexuais foram reconhecidos no Japão desde 2015, quando alguns governos locais começaram a emitir certificados para essas parcerias, mostrou uma pesquisa da Kyodo News. O número de casais de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros certificados vem aumentando rapidamente. Somente no ano fiscal de 2019, que terminou em março, cresceu 496, de acordo com a pesquisa que abrange duas províncias e 45 governos municipais, que introduziram seus sistemas de certificação até o dia 1º de abril.

O resultado sugere uma crescente conscientização do público sobre casais LGBT no Japão, mas a pesquisa também mostrou que os benefícios oferecidos a eles sob os sistemas são limitados. A introdução dos sistemas começou nas enfermarias de Shibuya e Setagaya, em Tóquio, em novembro de 2015. A cidade de Osaka emitiu certificados para 187 casais, os maiores entre os governos locais pesquisados. Setagaya ficou em segundo com 117, seguido por 88 em Sapporo.

Em muitos casos, oferece-se aos casais LGBT benefícios como por exemplo permitir que eles solicitem moradias públicas. Mas eles enfrentam dificuldades mesmo com os certificados, incluindo a impossibilidade de receber informações médicas importantes se um parceiro ficar doente. Os hospitais normalmente fornecem essas informações aos familiares.

Além disso, como a maioria dos governos locais não reconhece seus certificados, os casais LGBT precisam passar por novos procedimentos quando se deslocam entre as cidades. Para resolver o problema, algumas autoridades têm acordos para eliminar a necessidade.

Leia em The Mainichi (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também