Peru abre Machu Picchu para um único turista japonês após quase sete meses de espera

O plano original do japonês era passar apenas alguns dias no Peru para visitar Machu Picchu

Peru abre Machu Picchu para um único turista japonês após quase sete meses de espera

O Peru abriu as ruínas de Machu Picchu para um único turista japonês, após ele esperar quase sete meses para entrar na cidadela inca, enquanto estava preso no país andino durante o surto do coronavírus. A entrada de Jesse Katayama nas ruínas ocorreu graças a um pedido especial que ele apresentou enquanto estava preso, desde meados de março, na cidade de Aguas Calientes, nas encostas das montanhas próximas ao local, disse o Ministro da Cultura, Alejandro Neyra.

“Ele veio ao Peru com o sonho de poder entrar”, disse Neyra em entrevista coletiva virtual. “O japonês entrou junto com nosso chefe do parque para que ele possa fazer isso antes de retornar ao seu país. Katayama, com seu bilhete de entrada em mãos desde março, entrou nas ruínas da cidadela construída há mais de 500 anos e se tornou o primeiro visitante em sete meses a poder caminhar pelo patrimônio mundial.

“Isso é tão incrível! Obrigado!” disse Katayama em um vídeo gravado no topo da montanha Machu Picchu. O ministro Neyra disse que em novembro as ruínas de pedra de Machu Picchu serão reabertas para turistas nacionais e estrangeiros, sem especificar a data. O local permitirá 30% de sua capacidade normal de 675 pessoas por dia. “Ainda estamos no meio de uma pandemia”, disse Neyra. “Será feito com todo o cuidado necessário.”