Osaka acidentalmente envia anúncios de serviços funerários para pessoas infectadas com coronavírus

Relatos sobre envelopes de correspondência com anúncios funerários enviados a infectados, foram alvo de críticas em Osaka

Osaka acidentalmente envia anúncios de serviços funerários para pessoas infectadas com coronavírus
Desbravando o Japão

O texto no envelope diz: “Osaka Municipal Funeral Hall – Para perguntas sobre serviços funerários, ligue para Koekisha CO., Ltd.”. Os serviços de consultoria gratuitos da empresa prometem explicar preços e opções para dar aos clientes uma imagem concreta de que tipo de funeral a empresa pode oferecer. Em diferentes circunstâncias, seria bom saber, mas quando você está contaminado pelo coronavírus, a situação fica um pouco mais complicada.

“Toda a minha energia foi drenada”, disse um residente de Osaka que recebeu o envelope, “me senti tão desesperado. Era como se minha própria existência estivesse sendo negada e toda vez que penso nisso, começo a chorar. Esse tipo de descuido pode ser uma fonte de sofrimento psicológico para as pessoas infectadas”. Outros destinatários também apresentaram queixas sobre os envelopes e alguns apontaram que a sequência 567 no centro do número de telefone do anúncio pode ser lida como “korona”.

No entanto, nem a ajuda equivocada nem a intimidação cruel são os culpados pelos envelopes, que foram enviados por um posto de saúde de uma enfermaria em Osaka. Em 2006, a cidade começou a vender espaço publicitário no verso de seus envelopes como parte de uma iniciativa de arrecadação de fundos e é uma coincidência infeliz que os envelopes distribuídos aos escritórios de saúde tivessem o anúncio da empresa funerária neles.

Nenhuma escolha deliberada foi feita para conectar a correspondência com os portadores do coronavírus e os anúncios funerários. “Usamos os únicos envelopes que tínhamos disponíveis na época, sem estarmos cientes do problema potencial”, explicou um porta-voz do escritório de saúde e um porta-voz da divisão de contabilidade da cidade de Osaka disse: “embora não tenhamos colocado propositalmente os pacotes de informações para portadores de coronavírus em envelopes com anúncios de serviços funerários, não demonstramos a devida consideração”. Da mesma forma, Koekisha tem usado o número de telefone 567 incluído por mais de 10 anos, portanto, data de muito antes do início da pandemia de coronavírus.

Leia em Sora News 24 (Inglês)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também