Os líderes à suspensão antecipada do Estado de Emergência

O governo central usa um sistema de quatro estágios para determinar a nova situação das infecções e para suspender o Estado de Emergência, o nível de uma província deve estar ao menos abaixo do estágio 3. Algumas províncias, incluindo Osaka, cumpriram esta condição

Os líderes à suspensão antecipada do Estado de Emergência

Três governadores da região de Kansai instaram o governo central a encerrar o Estado de Emergência para suas províncias antes do prazo previsto, dia 7 de março. O governo já estava considerando a suspensão antecipada do Estado de Emergência no final do mês para as três províncias: Osaka, Hyogo e Kyoto, bem como para Aichi, Gifu e Fukuoka. A decisão final será tomada já no dia 26 de fevereiro, disseram fontes do governo.

Se concedido, apenas Tóquio e as províncias vizinhas de Chiba, Kanagawa e Saitama permaneceriam em Estado de Emergência. Os governadores de Kansai, em uma reunião online com Yasutoshi Nishimura, o homem de referência do governo central para lidar com a pandemia, disseram que criaram medidas para manter baixas as novas infecções por coronavírus caso sejam retiradas do Estado de Emergência.

“Em última análise, é uma decisão do governo central”, disse Nishimura na reunião, de acordo com o governador de Osaka, Hirofumi Yoshimura. “Faremos um julgamento após considerar a situação de infecção e ouvir a opinião dos especialistas”. Os governadores disseram a Nishimura que as restrições a restaurantes e bares serão gradualmente aliviadas após o fim do Estado de Emergência.

Eles também pediram ao governo central que continuasse a arcar com sua parte dos 40 mil ienes por dia pagos às empresas que atenderem aos pedidos de redução do horário de funcionamento após a suspensão do Estado de Emergência. Os governos central e local estão atualmente pagando 60 mil ienes por dia para essas empresas. “É importante buscar formas de encontrar um equilíbrio entre as medidas anti-infecciosas e as atividades socioeconômicas”, disse Yoshimura.

Veja também

Assine nossa newsletter