O Japão pode adiar a decisão final sobre o limite de espectadores olímpicos até junho

Taro Kono, ministro encarregado do lançamento da vacina COVID-19 no Japão, disse que os jogos olímpicos serão realizados “de qualquer maneira possível e isso pode significar que possivelmente não haverá espectadores”

O Japão pode adiar a decisão final sobre o limite de espectadores olímpicos até junho

O comitê organizador da Olimpíada de Tóquio pode não tomar uma decisão final até junho sobre quantos espectadores terão permissão para entrar nas instalações dos jogos, de acordo com a presidente do comitê, já que o Japão está lutando contra o ressurgimento de infecções por coronavírus. Seiko Hashimoto disse que o comitê organizador japonês ainda quer definir uma política básica com relação à capacidade máxima até o final de abril, de acordo com sua programação original.

Falando em uma coletiva de imprensa após participar de uma reunião virtual da diretoria executiva do Comitê Olímpico Internacional, Hashimoto indicou que está se tornando difícil tirar uma conclusão sobre a questão dos espectadores domésticos em uma data anterior. Ela disse que “pode ​​demorar um pouco para tomar uma decisão adequada”, dada a necessidade de monitorar de perto a situação das infecções no país e consultar especialistas em saúde, já que o número de novos casos está aumentando novamente devido à rápida disseminação de mais variantes contagiosas do vírus.

O comitê organizador tem estudado várias possibilidades, incluindo a realização dos jogos sem espectadores e limitar a multidão a 50% da capacidade dos locais, de acordo com as autoridades, que falaram sob condição de anonimato, pois os planos não foram divulgados.

Em março, o comitê e quatro órgãos organizadores das Olimpíadas e Paralimpíadas tomaram a decisão sem precedentes de barrar os espectadores estrangeiros como parte dos esforços para prevenir a propagação do vírus. Os cinco órgãos, incluindo também o Comitê Paralímpico Internacional e o governo metropolitano de Tóquio, podem realizar uma reunião online no final de abril para discutir a questão dos espectadores domésticos.