Meta de emissões mais rígidas pode estimular a mudança das refinarias do Japão para energia limpa

O governo japonês deve se comprometer a reduzir as emissões de gases de efeito estufa para zero até 2050, informou o Nikkei

Meta de emissões mais rígidas pode estimular a mudança das refinarias do Japão para energia limpa

As refinarias de petróleo japonesas podem acelerar os esforços para produzir combustíveis mais limpos, como o hidrogênio, se o governo definir uma meta mais ambiciosa de atingir zero emissões até 2050, disse o chefe da Associação de Petróleo do Japão (PAJ). “Se o governo elevar sua meta de emissão de carbono para 2050 de uma redução de 80% para zero agora, os refinadores podem acelerar seus esforços para fazer energia mais limpa, usando mais energia renovável e hidrogênio”, disse o presidente da PAJ, Tsutomu Sugimori, em entrevista coletiva.

Sugimori, que também é presidente da Eneos Holdings Inc, o maior refinador de petróleo do Japão, disse que a demanda por gasolina está se recuperando gradualmente de uma queda causada pela pandemia de COVID-19 no início deste ano, embora a longo prazo esteja em tendência de queda devido uma população em declínio e envelhecimento.

A Eneos, antiga JXTG, revelou no ano passado sua estratégia de longo prazo com a premissa de que a demanda doméstica de petróleo cairia pela metade em 2040, ou 2% ao ano. Sugimori disse que a demanda agora pode diminuir mais rapidamente como resultado da pandemia. “Depende de quanta demanda veremos depois da pandemia, mas a queda esperada na demanda doméstica de petróleo pode ser mais rápida do que havíamos previsto”, disse Sugimori.

“Para refletir essa possibilidade, os refinadores precisarão pensar em sua capacidade e estrutura de produção”, disse ele, sem dar detalhes. Ele também disse que a produção de querosene das refinarias japonesas e um estoque criado por usuários e revendedores estão a caminho em outubro para atender à demanda de inverno, acrescentando que a necessidade ou não do Japão importar querosene neste inverno dependerá das temperaturas.