Marco LGBTQ: Pride House Tokyo é inaugurada como parte do projeto pré-olímpico

A primeira Pride House – inspirada na tradição de centros de hospitalidade olímpica para equipes nacionais – foi lançada nos Jogos de Inverno de Vancouver em 2010

Marco LGBTQ: Pride House Tokyo é inaugurada como parte do projeto pré-olímpico
Foto: Página do Facebook da Pride House Tokyo

Tóquio abriu seu primeiro grande centro comunitário para pessoas LGBTQ neste mês, como parte de um projeto pré-olímpico que os ativistas esperam que vá combater o estigma e aumentar a conscientização sobre a discriminação. A Pride House Tokyo, localizada no bairro de Shinjuku, é baseada em sites pop-up inclusivos semelhantes criados nas Olimpíadas anteriores, mas oferecerá um espaço de reunião permanente e um centro de informações, buscando educar o público sobre a diversidade sexual e oferecer refúgio para aqueles que sofrem assédio ou discriminação.

Embora o Japão tenha algumas proteções para minorias sexuais, continua sendo o único país do G7 que não reconhece as uniões do mesmo sexo, e muitos casais dizem que têm dificuldade para alugar apartamentos juntos e até mesmo são impedidos de ir a hospitais. Esses desafios significam que espaços como a Pride House, montada em coordenação com os organizadores das Olimpíadas de Tóquio 2020, são extremamente necessários no Japão, dizem os ativistas.

“O Japão, não apenas nos círculos esportivos, mas a sociedade como um todo – incluindo escolas e locais de trabalho – não é amigável com as pessoas LGBTQ, e é difícil assumir”, disse Gon Matsunaka, que dirige o projeto por trás da Pride House, à AFP. Enquanto o centro está sendo montado sob uma tradição olímpica recente, o projeto é oficialmente denominado Pride House Tokyo Legacy, e os ativistas esperam que sua influência se estenda além dos Jogos.

O local “será um marco que pode mudar o cenário para as pessoas LGBTQ na sociedade japonesa”, disse Matsunaka. O Comitê Olímpico Internacional ecoou as esperanças de um legado duradouro. “No esporte, somos todos iguais”, disse o presidente do COI, Thomas Bach, em um comunicado divulgado no domingo. “Portanto, saudamos que Tóquio 2020 tenha incorporado diversidade e inclusão no modelo dos Jogos Olímpicos”, disse ele, desejando “sucesso à Pride House Tokyo“.