Mais de 1000 toneladas de óleo combustível vazam de petroleiro japonês nas Ilhas Maurício

O petroleiro, de aproximadamente 300 metros foi construído em 2007. Todos os 20 membros da tripulação multinacional evacuaram com segurança e foram resgatados ilesos

Mais de 1000 toneladas de  óleo combustível vazam de petroleiro japonês nas Ilhas Maurício

Mais de 1.000 toneladas de óleo combustível vazaram de um petroleiro japonês que encalhou nas Ilhas Maurício, divulgou a operadora do navio Mitsui OSK Lines Ltd. no domingo. O vice-presidente executivo da empresa, Akihiko Ono, pediu desculpas pelo incidente em uma entrevista coletiva em Tóquio, após a nação insular no Oceano Índico declarar Estado de Emergência Ambiental devido ao vazamento de combustível na sexta-feira. “Sentimos muito”, disse Ono ao prometer fazer todos os esforços para resolver o caso.

No domingo, uma grande quantidade de óleo pesado foi levado à costa ao longo da costa de Maurício, gerando preocupações sobre os danos à indústria do turismo do país e o impacto sobre os animais ameaçados de extinção, como pássaros selvagens indígenas e tartarugas marinhas. Enquanto os residentes locais se esforçam para remover do mar o combustível vazado, o governo de Maurício buscou ajuda da França e das Nações Unidas para lidar com o desastre.

O graneleiro Wakashio, de bandeira panamenha, encalhou nas Ilhas Maurício às 19:25 do dia 25 de julho, horário local, de acordo com a Nagashiki Shipping Co., proprietária do navio. O vazamento de óleo combustível começou na manhã de quinta-feira, quando um tanque de combustível rachou, disse a empresa com sede na Província de Okayama.

A embarcação, que estava a caminho do Brasil, saindo da China, via Cingapura, carregava um total de 3.800 toneladas de óleo combustível quando encalhou perto de Pointe d’Esny, uma área designada como zona úmida de importância internacional pela Convenção de Ramsar, que fica perto do Blue Bay Marine Park. Maurício, com uma população de cerca de 1,3 milhão, está localizado a cerca de 2.000 quilômetros a leste de Moçambique, na costa sudeste da África.